• Da redação

Águas de Holambra implanta projeto de eficiência operacional premiado

Desenvolvido há menos um ano, o projeto Fórmula 1 é considerado case de sucesso na holding Aegea Saneamento



Na semana passada, a Águas de Holambra deu início a implantação de um projeto de eficiência operacional, que recentemente conquistou o 2º lugar no Prêmio Inovação Aegea, concorrendo com trabalhos desenvolvidos em 49 municípios de todo o território nacional. A metodologia Fórmula 1, implementada há quase um ano na Regional SP da holding, com o objetivo de aprimorar os processos operacionais e assegurar a qualidade dos serviços.


O projeto desenvolvido pela área de Serviços junto à gerência de Engenharia e Operações e diretoria executiva da concessionária, está pautado na implementação de processos operacionais e adaptações da estrutura física que garantem a otimização do tempo de execução das atividades e, consequentemente, promovem a melhoria contínua da performance da equipe técnica.


Segundo o diretor executivo, Fabio Arruda, um dos idealizadores do projeto, o principal desafio de implantar esse tipo de melhoria na área de serviços é descobrir a melhor metodologia para produzir mais com menos. “Ao estudarmos o assunto verificamos que o sucesso desta operação está diretamente ligado ao planejamento e antecipação dos processos. Desta forma, com a redução do tempo de preparação da equipe antes de sair da base, as ocorrências são executadas em um prazo menor e, consequentemente, possibilita a ampliação dos atendimentos”, explica o diretor.


Dividido em duas etapas, o projeto teve como ponto de partida uma reunião entre os gestores, que englobou uma análise minuciosa dos procedimentos e identificação dos gaps que apresentavam possibilidade de melhorias, por meio da metodologia 5W2H. O estudo considerou também a atribuição dos responsáveis para coordenar as ações, definição dos prazos e estimativa de valores de investimento para cada ação.


A segunda etapa englobou uma vistoria do trabalho em campo, com a finalidade de identificar as particularidades e dificuldades exigidas pela tarefa. Entre os itens elencados pelo estudo considerou-se a questão do tempo médio utilizado para a saída da base até a conclusão da ocorrência. Para esse diagnóstico, a equipe contou com o sistema de OS online, um software de gerenciamento dos serviços que permitiu monitorar a performance das equipes neste período. Os resultados obtidos possibilitaram avaliar o comportamento dos colaboradores antes e após a implantação das melhorias.


A coordenadora de Serviços, Laís Gomes Pedra explica que todas as ações do projeto foram pensadas em uma forma de facilitar o dia a dia do colaborador e também aumentar a produtividade. De acordo com o gerente de Engenharia e Operações, Valdir Alcarde Junior, desde o início, o projeto Fórmula 1 foi constituído em uma estrutura replicável em outras unidades de negócio do grupo. Por isso, o protótipo foi constituído em Piracicaba e, após os primeiros resultados, sua estrutura já está em processo de aplicação nas unidades da Regional SP.


Em Holambra, o projeto teve início na semana passada com a fase de reconhecimento de campo e o compartilhamento do escopo de trabalho com as equipes de campo. Além disso, está em processo de execução a análise 5W2H, da qual serão definidas as principais ações, levantamento dos custos de investimentos e atribuições das responsabilidades. Estima-se que até o final do ano, a implantação esteja concluída na unidade.

27 visualizações