• Da redação

Protetores Independentes de Holambra buscam apoio à causa com exposição em praças


Exposições itinerantes dos trabalhos realizados vão as praças de Holambra e e cidades vizinhas.


A organização Protetores Independentes de Holambra - PIH - está promovendo exposições que irão passar por todas as praças da Cidade das Flores e também nas cidades próximas como Arthur Nogueira, Cosmópolis, Jaguariúna e Santo Antonio de Posse.

A exposição, que atualmente se encontra na Praça dos Pioneiros e permanecerá por lá até o final da semana, divulga fotos dos trabalhos realizados pelos voluntários como resgastes, adoções e eventos beneficentes realizados. Segundo o fundador da ONG, Sidney Sousa Santos, o intuito da exposição é prevenir o abandono e conscientizar as pessoas a respeito do cuidado com os animais mediante a posse responsável.

"O nosso grupo tem três pilares: O primeiro é a Conscientização (onde se tem isso se tem respeito pela causa e os moradores sabem o que fazer se verem algum animal abandonado; o abandono só pode ser combatido antes de acontecer); O segundo é a Prevenção (castração e vacinação dos animais para evitar doenças e superpopulação) e por último a Reabilitação (cuidado com os animais feridos ou doentes). O mês de junho é o mês em que mais ocorrem abandonos, não só em Holambra como em diversas cidades, pois é um mês em que muitos viajam e acabam abandonando os animais. Sendo assim, com a exposição das fotos e com flyers disponíveis, esperamos despertar um sentimento de conscientização nas pessoas", disse Sidney.

A Ong também irá exibir fotos diferentes em cada praça onde a exposição estiver presente, divulgando assim diferentes trabalhos, realizados por seus voluntários.

Sobre a Organização

A organização dos Protetores Independentes de Holambra foi fundada em 11 de junho de 2016. Tendo em vista que Holambra já possuía uma associação beneficente em prol dos animais e que esta estava trabalhando sozinha, diante de inúmeros casos, Sidney Santos e seu grupo de amigos abraçaram a causa e decidiram fundar a organização.

O grupo começou com cinco pessoas e o primeiro resgate realizado foi de um gato. A partir disso, o grupo começou a realizar reuniões mensais e os trabalhos de conscientização, prevenção e reabilitação foram iniciados.

Porém, por dificuldades financeiras, em 16 de maio deste ano a ong encerrou as atividades, deixando de ser uma organização formalizada para ser um grupo de atualmente 25 pessoas, que se comunicam entre si e organizam os eventos, mas cada integrante atua de forma independente nos trabalhos de reabilitação e os realiza por conta própria.

Os integrantes prestam assistências a animais de rua feridos ou doentes, realizam resgate de animas em situação de risco (filhotes, fêmeas prenhas e animais não castrados) e reabilitam animais em situação de maus tratos. Estes são vacinados e castrados e, posteriormente, são disponibilizados para adoção, promovida aos sábados em Holambra. Enquanto esses animais não são adotados o grupo tem um projeto chamado Lar Solidário, em que os moradores que quiserem ajudar oferecem suas casas e cuidam de um ou mais animais até que sejam adotados ou pelo tempo determinado pelo próprio morador. Durante a estadia o grupo oferece todo o aparato (água e ração) para que o morador não tenha custos adicionais e apenas cuide do animal.

Já para os animais que necessitam de alguma ajuda como comida ou cuidados médicos, e que já viviam nas ruas e geralmente não se adaptam a um ambiente doméstico, o grupo iniciou o projeto Casinha Solidária. Trata-se de uma iniciativa protegida por lei estadual, que consiste na instalação de casinhas nas calçadas dos moradores que aceitam ajudar, de forma permanente. O grupo então oferece ração, água e cobertores todos os meses para que este morador apenas se responsabilize por cuidar do animal. Os cobertores são arrecadados por meio de doações e um dos parceiros é o Centro Veterinário da Unifaj, onde os alunos realizam campanhas de arrecadação.

Em um ano de atividade a organização dos Protetores já resgatou 610 animais na cidade. Segundo Sidney, muitos moradores apoiam a causa, e antes que o grupo faça o pedido os próprios moradores os procuram para oferecer ajuda.

"O interessante é que temos apoio de muitos comércios e de muitos moradores, que nos procuram para oferecer ajuda. É um trabalho sensacional. Em 2016, em apenas cinco meses de atividade resgatamos 210 animais. Já em um ano de atividade, resgatamos 610, sendo que 608 já foram doados para moradores de Holambra e de demais cidades", destaca Sidney.

Atualmente Holambra possui 110 animais de rua e 89 deles já recebem a assistência do grupo. Conforme um balanço apresentado pela entidade, foram realizadas 694 castrações e aproximadamente 2 mil vacinações. O grupo também se coloca a disposição para receber denúncias de animais vítimas de maus tratos ou abandonados e as visitas aos locais geralmente são acompanhadas pela Guarda Municipal (GM).

Nas praças o grupo também disponibiliza uma caixa de arrecadação, na qual as pessoas podem doar o valor que quiserem, colaborando financeiramente com as atividades.


O próximo evento a ser realizado pela PIH é o CINE CÃO. O evento, que consiste na exibição de filmes de conscientização sobre os animais, será divulgado em toda a cidade e também nas escolas do município.

"Da última vez que realizamos o evento foi um sucesso. Muitos participaram e gostaram. Agora vamos divulgar para que, aproximadamente daqui duas semanas, outro evento como este aconteça", disse Sidney. Confira abaixo, fotos dos trabalhos realizados pela organização:

#Animaisdomésticos #Proteção #PosseResponsável #Exposições #Conscientização #Voluntariado #Doações #Acolhimento #LarSolidário #CentroVeterinárioUniFaj

0 visualização