• Da redação

Grupo de capivaras é flagrado durante travessia noturna pela Alameda


Por meio da moradora de Holambra Olívia Hansen, Cena Urbana registra o passeio dos roedores pela Alameda Maurício de Nassau.


Na noite da última quinta-feira, 28 de setembro, a holambrense Olivia Hansen, moradora do bairro Jardim Holanda, registou a travessia de um numeroso bando de capivaras pela Alameda Maurício de Nassau. Para quem é de fora a cena pode parecer estranha, mas quem é de Holambra nem se assusta, pois a convivência com esses mamíferos é antiga e pacífica.

Olívia fez as fotos quando passava de carro pela Rua Primavera. Ao se aproximar da esquina, flagrou os animais cruzando a rua no trecho da faixa elevada, atravessando a Alameda em direção à mata.

As capivaras têm seu habitat no Lago Vitória Régia, onde costumam ser vistas em grupos e sempre com filhotes por perto. Sem um predador para manter o equilíbrio entre as espécies, elas passam a maior parte do tempo comendo, descansando e proliferando.

A maioria da população holambrense já se acostumou com a presença dos animais e alguns até se sentam próximo a elas, hábito que não é recomendado porque capivaras são hospedeiras do carrapato estrela, que se estiver infectado transmite a febre maculosa.

Capivaras andam sempre em grupo, ou seja, onde um membro da família está os demais estão também. Durante a travessia, carros que trafegavam pela Alameda até pararam para esperar a passagem do grupo, o que demonstra que há uma consciência de preservação da vida animal.


A capivara é uma espécie de mamífero roedor da família Caviidae e subfamília Hydrochoerinae. Ela está incluída no mesmo grupo de roedores das pacas, cotias, preás e o porquinho-da-índia. A espécie habita grande parte da América do Sul, ao leste dos Andes, e possui como habitat rios, lagos e pântanos. Por ser um animal extremamente adaptável, as capivaras podem sobreviver em ambientes altamente alterados pelo ser humano (prova disso é sua coexistência harmoniosa com seres humanos na Cidade das Flores).

A espécie é herbívora, ou seja, se alimenta de folhas e plantas. É considerada o maior roedor do mundo, chegando a pesar até 91 kg e medir até 1,2 m de comprimento e 60 cm de altura. Sua pelagem é densa, de cor avermelhada a marrom escuro. É possível distinguir os machos por conta da presença de uma glândula proeminente no focinho, apesar do dimorfismo sexual não ser aparente.

Geralmente as fêmeas dão à luz a quatro filhotes por vez, que podem pesar até 1,5 kg e já nascem com pelos e dentição permanente. Em cativeiro, uma capivara pode viver até 12 anos de idade. Confira um breve vídeo produzido pela moradora Olívia Hansen e enviado ao site do Jornal da Cidade, no qual foram capturadas imagens da travessia pela Maurício de Nassau:


Fotos: Colaboração/Olívia Hansen

#Capivaras #roedores #Holambra #LagoVitóriaRégia #Animais #travessia

13 visualizações