• Da redação

Câncer de mama tem cura, sobretudo quando se tem vontade de viver e o apoio necessário


Conheça uma bela história de superação com apoio familiar e as recomendações do médico da rede municipal, Dr. Paulo César Madi, sobre a doença.


Alcione Wagemaker, a filha Gabriela e a neta Clara. empresária teve apoio da família e, juntos, lutaram por cinco anos e venceram o câncer de mama . (Foto: Gabriela Wagemaker/Álbum de Família)

O mês de outubro é marcado pelo feriado nacional do Dia de Nossa Senhora Aparecida - considerada padroeira do Brasil - e simultaneamente pelo Dia das Crianças. No entanto uma campanha, que se inicia logo no primeiro dia do mês, também é destaque não apenas no Brasil como também em outras partes do mundo: O Outubro Rosa.

O movimento conhecido por tal nome teve origem nos Estados Unidos, na década de 1990, com o objetivo de estimular a participação da população no controle do câncer de mama. Desde então a data é celebrada anualmente e busca compartilhar informações sobre a doença e promover a conscientização sobre a importância da detecção precoce da doença.

Desde 2010, o INCA - Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva participa da campanha, colaborando com a promoção de espaços de discussão sobre câncer e divulgando e disponibilizando seus materiais informativos, tanto para profissionais de saúde quanto para a sociedade brasileira.

Sobre o câncer de mama

O câncer de mama é uma doença que resulta da multiplicação de células anormais da mama, originando um tumor. Porém, este pode existir em vários tipos, fazendo com que se alguns se desenvolvam rapidamente e outros não.

Sendo o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma, o câncer de mama responde por cerca de 25% dos casos novos a cada ano. Em 2015, foram esperados para o Brasil 57.120 novos casos da doença.

Sem considerar os tumores de pele não melanoma, esse tipo de câncer é o mais frequente em mulheres que residem nas regiões brasileiras Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste. Na região Norte, é o segundo mais incidente.

Assim como outros este tipo de câncer possui tratamento e o Ministério da Saúde do pás oferece o atendimento por meio do SUS - Sistema Único de Saúde.

Amor, família e superação

Assim como qualquer outro câncer ou doença grave, sentimentos como medo, tristeza e frustração atingem fortemente a pessoa diagnosticada e sua família. No entanto, a esperança e a vontade de vencer podem fazer a diferença e auxiliar na recuperação da pessoa que convive com um diagnóstico grave.

Assim aconteceu com a família holambrense dos Wagemaker. Alcione Wagemaker, de 70 anos, foi notificada que estava com câncer de mama aos 65 anos. Hoje, após cinco anos de tratamento a holambrense venceu a doença e sua filha, Gabriela Wagemaker, concedeu um depoimento ao site do JC Holambra no qual falou sobre a difícil fase que enfrentaram, junto da mãe e como o apoio da família, pode ser um grande diferencial.

"Nós descobrimos o câncer da pior forma, sentindo na pele. Quando se diz, "fulano esta com câncer","Beltrano descobriu o câncer", você se comove, sente pela pessoa. Mas a frase "sua mãe tem câncer", dói, dói de verdade. É uma mistura de sensações, frustração, desespero, dor, medo da perda, muito medo. Minha mãe foi diagnosticada com câncer de mama aos 65 anos e isso abalou profundamente a nossa família, o marido, os cinco filhos, genros e noras.

Independente do local onde a doença se manifesta ou quão avançada está, ela é o câncer e isso pesa demais. Minha mãe, no primeiro momento ficou tão abalada que pensou na hipótese de não se tratar. Mas nós logo tiramos isso da cabeça dela e ela teve um apoio muito grande do médico. Lembro-me de ele dizer para ela que a cura dessa terrível doença vem através dos remédios, mas também da vontade do paciente em se tratar.

Foram longos os dia de angústia. O primeiro exame de biopsia, a espera do resultado, a ansiedade da cirurgia, a recuperação, e então, a tão temida quimioterapia. Cada reação, a internação, cada dia bom ou ruim. Por duas vezes ela foi internada devido à queda das plaquetas. A queda dos cabelos, tão ruim para a vaidade feminina, mas que se tornou mais branda com o momento em família que fizemos. Longos meses até a chegada da Radio, mais sofrimento, físico e psicológico; íamos todos os dias levá-la para o Boldrini.

Mas é quando estamos fracos que descobrimos nossos pontos fortes e foi assim que entendemos a grandeza da união de nossa família e do amor e carinho que meu pai tinha pela nossa mãe. Quando ela se viu doente, me perguntei o POR QUÊ daquilo tudo e então, essa foi a resposta: Deus queria nos mostrar como era grande o amor de nossa família.

Como dizem, cada um tem a sua cruz para carregar e podemos dizer que dessa vez a cruz da minha mãe ficou mais leve, pois ela tinha todos nós para ajudá-la com este peso. Ao seu lado também estava meu pai, que foi extremamente importante, cuidou dela em todos os momentos, esteve ao lado nas piores situações, participou de todas as consultas e sessões. Um ano e meio de tratamento, cinco longos anos de remédios, exames trimestrais e este ano pudemos enfim dizer, "minha mãe já teve um câncer, hoje não tem mais".

O Outubro Rosa é uma campanha fundamental para alertar a sociedade porque chama atenção para esse grave problema que afeta milhares de mulheres em todo o país de maneira especial. No entanto, o combate ao câncer de mama não deve ficar restrito a essa época do ano.

Para complementar os cuidados necessários, o site JC Holambra conversou com duas autoridades municipais sobre o assunto: o médico sanitarista do Departamento Municipal de Saúde, Dr. Paulo César Madi, e o responsável pelo setor, Valmir Marcelo Iglesias. Confira:


- Site JC Holambra: Qual a incidência de câncer de mama na cidade de Holambra, ou seja, quantas pessoas em média convivem com a doença atualmente na cidade?

Dr. Paulo Cesar Madi (foto): Depois que é detectada alguma alteração em exames como ultrassonografia ou mamografia, os pacientes são acompanhados pelos hospitais de referência. Em Holambra são em torno de 6 casos.

- Qual o perfil dos holambrenses que possuem este tipo de câncer?

Não há um perfil específico de holambrenses. Esse é um câncer com maior incidência a partir da sexta década de vida e que atinge menos de 1% dos indivíduos do sexo masculino.

- Como ele pode ser diagnosticado e tratado?

O câncer de mama pode se apresentar de diversas formas, mas na maioria das vezes ele surge como um nódulo geralmente indolor, duro e irregular. Mas há tumores que são de consistência branda, globosos e bem definidos. Outros sinais de câncer de mama são edema cutâneo semelhante à casca de laranja; retração cutânea; dor, inversão do mamilo, hiperemia, descamação ou ulceração do mamilo; e secreção papilar, especialmente quando é unilateral e espontânea.

Quando se nota qualquer alteração nas mamas, visível, palpável ou através de exames de imagem (mamografias, ultrassonografias ou outros) torna-se necessário fazer uma biópsia que é o exame que vai diagnosticar com certeza a presença do câncer. O tratamento pode ser feito através de cirurgia e/ou quimioterapia e/ou radioterapia, dependendo do estágio do tumor. Quanto mais cedo ocorre o diagnóstico maiores são as chances de cura.

-Vocês indicariam algum tipo de tratamento psicológico para as pessoas que convivem com o câncer, seja este por meio de um médico ou através de outras atividades? Se sim, quais? Se não, por que?

Qualquer tratamento que melhore as condições do paciente no enfrentamento do câncer ou outra doença qualquer é sempre bem-vindo. O que recomendamos é que o paciente pode submeter-se a qualquer tratamento alternativo, desde que não abandone o tratamento tradicional.

- Holambra já realiza campanhas relacionadas ao Outubro Rosa? Se sim, como funciona esta campanha? Ela será realizada em que dia deste mês?

Valmir Marcelo Iglesias (foto abaixo): Holambra realiza campanhas educativas e de conscientização todos os anos. Esse mês, servidores da Saúde municipal receberam camisetas com o tema do Outubro Rosa, o Moinho estará iluminado e a Prefeitura realizará eventos pontuais com o objetivo de promover o autoexame e levantar essa necessária discussão, disse o diretor do departamento municipal de Saúde.


Com esta reportagem, o site JC, a equipe administrativa e os jornalistas do Jornal da Cidade de Holambra somam força com a campanha Outubro Rosa nesta batalha de conscientização sobre a necessidade de se prevenir o câncer de mama e realizar exames preventivos regularmente.

Fotos: Assessoria de Comunicação/Prefeitura Municipal.

#OutubroRosa #Dados #Tratamento #Prevenção #Câncerdemama #Cuidados #Saúde #Superação #Família #Apoio #Holambra #Holambrense

20 visualizações