• Da redação

Martin Holandesa é opção de lazer e gastronomia para holambrenses e turistas


​Os frequentadores habituais já sabem: o que antes era um espaço para se sentar e saborear doces, bolachas e outros doces da culinária do País dos Moinhos, hoje é muito mais que isso. Até 2005 a hoje famosa Martin Holandesa funcionava apenas como Confeitaria.

Foi a partir de 2006 que os proprietários Frank e Kelly resolveram iniciar com o Restaurante, agregando pratos de origem holandesa sem deixar de consolidar o nome original para preservar a memória da família e especialmente o de Martin, pai de Frank, pioneiro na iniciativa.


“Fomos muito felizes na escolha e atingimos nosso objetivo, que era consolidar o conceito e a marca do estabelecimento, tanto que hoje ninguém diz que está indo à Confeitaria ou ao Restaurante, mas sim na Martin”, comemora o proprietário. O próximo passo, este também muito bem sucedido e de visão empreendedora, foi implantar a “Batata no Cone”, uma novidade que emplacou porque não existia nada parecido por aqui.

De início, já com o nome ‘Cone’ patenteado, as vendas eram tímidas e aconteciam apenas para clientes da Martin Holandesa. “Resolvemos testar o produto na Expoflora. No espaço que alugamos para montar o restaurante colocamos a Batata no Cone à venda. O sucesso foi surpreendente: em 17 dias vendemos duas toneladas de batatas!”, revela Frank.

Hoje, o crescimento se reflete na própria Expoflora, onde a Martin Holandesa trabalha com 10 lojas, vendendo comida holandesa, pratos feitos e a famosa batata. Como consequência do sucesso, o crescimento levou a Batata no Cone às festas de rodeio realizadas na região e já se tornou, também, um produto conhecido do público que frequenta eventos de grande porte. É o caso das corridas de Fórmula 1, Tomorrowland e o Rock in Rio.

A entrada da Batata no Cone no Rock in Rio se deu em 2011 e merece destaque, pois agregou ainda mais valor a esse verdadeiro ‘case de sucesso’. “Pois é, estávamos entre as 350 empresas que pleiteavam vender seu produtos para a multidão e acabamos sendo selecionados entre as 10 que ganharam o direito de participar do evento. Dessa forma, desde 2015 temos a exclusividade para vender batatas fritas aos frequentadores dessa megafesta”, festeja Frank.

Já a qualidade dos produtos utilizados para fazer os doces, bolachas e pratos que a Martin Holandesa vende também é especial. No final de 2012 agregaram o restaurante típico e internacional. A qualidade dos produtos e o atendimento levam centenas de pessoas à Martin Holandesa nos finais de semana, que é muito visitada por turistas. Nas manhã de domingo, por exemplo, já são comuns as “invasões” de moto-clubes e motociclistas de São Paulo e da região.

Durante a semana já se tornaram tradicionais alguns eventos como a consolidada “Quarta-Country”, onde toda a temática e o cardápio são inspirados em uma rede de restaurantes norte-americanos. Nesses dias acontecem apresentações de bandas que tocam country e bluegrass. De segunda a sexta a clientela tem à disposição um cardápio executivo, enquanto o final de tarde pode ser muito bem aproveitado para um “Happy na Martin”.

Toda quinta a atração é o cardápio "happy estendido", com direito ao primeiro drink grátis para as mulheres e música ao vivo. A Martin também oferece um mimo aos pequenos que costumam acompanhar seus pais. Trata-se de “KidKit’s”, que já recebem logo na entrada e serve como entretenimento para pintar e brincar. Reconhecida por sua qualidade e pioneirismo, a Martin Holandesa oferece doces típicos holandeses, pannekoek, pratos típicos holandeses e o melhor da culinária contemporânea.

História

Em 1980 a Confeitaria mudou de endereço para o atual e se mantém

até hoje. Na época o turismo em Holambra era praticamente nenhum, mas

a D. Diny aos finais de semana, ficava no jardim que ficava do lado da

pequena lojinha e quando aparecia algum turista, ela prontamente ia

atender abrindo a loja para vender os famosos pães e doces que o Sr.

Martin produzia.

Em 1988 o filho mais velho, Frank Gerritsen, assumiu o

comando junto com o Sr. Martin e fez várias viagens à Holanda e outros países europeus para fazer cursos de reciclagem e trazer novidades. Nesses estágios nas confeitarias de lá, tornou-se amigo da família que dirigia uma delas e nasceu daí uma grande amizade. Um dos padeiros que ali trabalhava, Sr. Frans Welling, hoje é professor da melhor Faculdade holandesa: a Rijnijssel, que tem 100 anos de história.

Hoje a Martin firmou uma parceria com a Faculdade e desde 2012

mantém um intercâmbio com os alunos de confeitaria e padaria, que vêm ao Brasil para fazer estágio aqui em Holambra. A troca de experiências resulta em constantes novidades, além de permitir que os alunos holandeses aprendam um pouco de nossa cultura e como são produzidos os produtos 100% naturais.

Na holanda é comum os confeiteiros e chefs trabalharem com produtos semi-prontos, como é o caso da massa de amêndoas. "Na Holanda ela é preparada por empresas que fabricam produtos para confeitarias, ou seja, é semi-industrializada, mas na Martin nós compramos as amêndoas em fruta e moemos, processamos e preparamos a massa pura", explica Frank.

Informações e programação

Horário de funcionamento:

Segundas-feiras: das 9h as 16h;

Terças, Quartas e Quintas-feiras: das 9h as 23h;

Sextas, Sábados e Feriados: das 9h a 0h:00 (meia-noite)

Domingo: 9h:00 ~ 22h:00

Endereço e contato: Rua Dória Vasconcelos, 144 - Centro, Holambra -SP

Telefone: (19) 3802.1295 - E-mail: confmartin@uol.com.br

Fotos: Maria Elisa Moraes/Site JC Holambra.

#MartinHolandesa #Restaurante #Confeitaria #Café #Gastronomia #GastronomiaHolandesa #Tradição #Turismo

40 visualizações