• Da redação

Público, empregos e investimentos do Noeland


Evento de Natal, que termina neste domingo, negociará para voltar em 2018


“Vendido” como o maior evento de Natal de São Paulo, o Noeland chega ao fim neste domingo (24) com números expressivos. A festa realizada no Parque da Expoflora, em Holambra, sai de cena com o sonho de se tornar o 2º polo de Natal do país, ao lado de Gramado (RS).

Muitos não sabem, mas os organizadores decidiram fazer o Natal na cidade apenas em outubro. Foram 40 dias de preparação, tempo reduzido para os objetivos traçados e alcançados com sucesso. “A Thematic (empresa responsável pelo evento) é especializada em decoração de Natal para shoppings e estávamos com um acervo grande de material que não seria usado e dormiria no estoque. Precisaríamos fazer tudo isso girar e queríamos preparar algo relevante. Daí surgiu a ideia do Noeland”, revelou a organizadora da atração, Silvia Doreto.

O investimento não foi pequeno. A empresa gastou R$ 1 milhão na operação, com os custos de transporte, logística, mão de obra e entre outros. Segundo Silvia, o acervo utilizado no Parque da Expoflora vale cerca de R$ 3 milhões, totalizando R$ 4 milhões para o Natal. “Tudo é aprendizado, foi o primeiro ano, deixamos de ter lucro, mas vamos nos pagar. Foi um sucesso. Imprimimos uma marca entre as pessoas, tivemos exposição nos veículos de comunicação e a população guardou o nome da festa”, explicou.

Em período que varia de 2 a 3 meses, a empresa criou 200 vagas diretas de emprego temporário para os moradores locais. “Fora os indiretos, que aparecem por conta da movimentação no parque. Donos de comércios e hotéis comentaram conosco que foi preciso reforçar as equipes, mas é difícil mensurar esse número (de indiretos)”, disse Silvia. “Vamos conseguir ter mais números, inclusive sobre o retorno financeiro para a cidade, depois que fizermos o balanço final. Alguns vão ficar conosco até a desmontagem, até 15 de janeiro. E aí estamos falando dos vigilantes, por exemplo.”

Em relação ao público, o Noeland estipulou meta de 60 mil pessoas, mas é provável que não seja alcançada. Até aqui, 42 mil passaram pelo Parque da Expoflora para o Natal. “A gente não tinha número anterior, já que é o primeiro ano. Procuramos nos basear na Expoflora. Estimamos 60 mil pessoas e vamos chegar perto disso. É importante dizer quer atendemos as expectativas, encontramos pessoas que falaram que entenderam a nossa proposta”, enfatizou Silvia.


Dias finais

O Neoland se encerra neste fim de semana e já deixa saudades. Quem passou pelo local viu encanto, beleza e o espírito revigorado do Natal. Para hoje e amanhã, as atrações serão os corais e canto lírico.

A organizadora chama atenção para o horário no domingo, último dia. A exposição natalina se encerrará às 16 horas. “Há muitas pessoas trabalhando, não queremos privá-las de ter um Natal com a família”, adianta Silvia. No domingo, os ingressos serão vendidos somente até as 15 horas.

Futuro

Sobre uma nova edição em 2018, Silvia afirma que depende de conversas com a Prefeitura, mas é boa a chance de o Noeland voltar. “Havia inquietação na cidade no começo porque éramos desconhecidos. Gerou uma apreensão, se daria certo e, recentemente, conversei com uma pessoa importante, que disse que conseguimos reverter a situação, que era de rejeição.”

Na análise da Thematic, é preciso melhorar e reforçar mais a identidade do Noeland, de um evento de entretenimento e lazer para reunir a família, desvinculando-se de uma feira. Em 2018, a ideia é ter mais brinquedos para as crianças e atrações culturais, tudo com o objetivo de segurar as pessoas por mais tempo no parque.

#holambra #Noeland #natal

19 visualizações0 comentário