• Da redação

Natal, uma comemoração cristã


É hora de celebrar o nascimento do menino Jesus


O Natal é uma comemoração comum entre todos que se dizem cristãos, mas até quem não guarda o dia santo tem seu ritmo de vida alterado. Conforme pontuou o padre Paulo Henrique Dias, da Paróquia Divino Espírito Santo, “é a ocasião de se celebrar a vinda do Salvador, como conclusão das promessas do Antigo Testamento, em que se esperava o Messias, e simultaneamente é também o revigoramento das esperanças acerca de seu retorno”. “A maneira que cada família deve celebrar o Natal cabe a elas decidirem, sempre com piedade e consciência. Cada qual escolhe o jeito de festejar. A festividade é uma consequência, não uma causa. O que dá origem e sentido ao 25 de dezembro é o próprio Cristo”.

Ele destacou que no ciclo de 365 dias, a igreja católica celebra momentos que vão do anúncio da concepção de Jesus até sua morte, ressurreição e ascensão, entre outras festividades.

Padre Paulo acredita que é o entendimento do real sentido natalino que leva os cristãos a levar uma vida mística no decorrer do ano, e os envolver de tal modo que querem estar unidos a tudo e todos, que integrados na comunhão da Igreja, são Corpo Místico do Cristo. “Assim, o que leva a pessoa a viver a celebração do Natal é justamente o grau de entrega que ela ofereceu durante o ano que passou, ou o quanto ela deseja ofertar de sua companhia com os irmãos por amor ao Cristo”, completou.

Ainda segundo padre Paulo, os fiéis celebram o Natal como os 12 apóstolos e seus sucessores ensinam: com piedade e gratidão. E sobre os símbolos natalinos, considera o presépio pode ser o mais representativo. “O símbolo maior de Natal para o cristão é o próprio nascimento de Deus, que se fez menino. Esse é o maior e único símbolo. As demais coisas são alegorias, enfeites e manifestação de alegria por causa de um acontecimento. Talvez aqui se encaixe o presépio: nele, todos os olhares estão postos e fixos no menino Deus, dos sábios estrangeiros aos animais que ali perto pastam e, é claro, a figura da Santíssima Virgem, representada até esse momento como sacrário do Santíssimo, e seu esposo São José, o guardião justo do Verbo Encarnado e sua mãe”.

Para celebrar

Padre Paulo convida os fiéis para as missas que acontecem dia 24, às 20h, e dia 25, às 10h e 19h. “A palavra missa vem do latim e significa missão: venha descobrir sua missão de ser fiel ao Pai como Jesus fez e ser Igreja. Reze por si e pelos teus familiares”.

Cophol

Romeu Rodrigues Júnior, presidente do Conselho de Pastores de Holambra (Cophol), reforçou que no Natal “mantemos a tradição de comemorar o nascimento do Salvador Jesus”. “Apesar da data do nascimento de Jesus não ser no mês de dezembro, as igrejas evangélicas em geral comemoram seu aniversário também nessa data. Os evangélicos não vinculam o Natal a figura do Papai Noel, mas também trocam presentes e fazemos decorações natalinas”, explicou.

Pastor Júnior reforçou que o Natal “tornou-se uma comemoração secular, onde o aniversariante não é convidado para festa”. “Ele não é o centro das celebrações. Presentes, banquetes, viagens ocupam todo o espaço. O ideal seria entender e celebrar o verdadeiro significado do Natal”, disse, ao destacar que, em Holambra, cada igreja conta com programação própria, com a realização de cultos especiais e cantatas.

#holambra #natal

4 visualizações