• Da redação

Adeus 2017, que venha 2018!


O que você conquistou nesse ano e o que espera para o próximo?

Um ano de atropelos, de corrupção, de crise. Um ano que passou rápido, que trouxe conquistas e muitas realizações. E chega um novo ano, que traz promessas que serão realizadas, projetos que serão semeados e muitos outros que ficarão pelo caminho. Sim, é sempre assim: fim de ano é hora de colocar na balança o que foi conquistado, descartar o que não deu certo e pensar no futuro. E aí? O que você conquistou em 2017? E o que você espera para 2018?

Izilda Pinqui, de 54 anos, mora em Santo Antônio de Posse, trabalha em Holambra e aprovou, no campo pessoal, o ano de 2017: os problemas de saúde enfrentados pela família foram superados e seu filho conseguiu um emprego que “transformou sua vida”. “Que 2018 continue assim, com alegria e paz. O pior que está acontecendo é a corrupção, pois enquanto eles (políticos denunciados) roubam, as famílias ganham pouco e muitas crianças passam por necessidades”. Seu desejo é justiça. “No pessoal foi um ano bom, mas como o ser humano vai sobreviver com essa corrupção? Espero melhorias para todas as famílias, independente da classe social”.


Há 23 anos em Holambra, dona Doralice Dias da Costa Gomes, de 61 anos, é aposentada, veio de Apiaí (SP) e por aqui sempre morou no Fundão. Tem 11 filhos e seu sonho é sair do aluguel. Esse desejo está prestes e se realizar através da filha Andréia da Costa Gomes dos Santos, de 38 anos, auxiliar de produção. Ela destacou que 2017 foi o ano em que terminou de pagar o terreno e o próximo passo, em 2018, será iniciar a construção. “Foi um ano bom e desejo que continue assim: a família unida e todos com saúde”, disse, ao pontuar que comprou o terreno junto com a irmã Jéssica da Costa Vieira Gomes, de 25 anos. Dona Doralice destacou que apesar do aluguel, não trocaria Holambra por outra cidade. “Aqui somos bem atendidos nos serviços de saúde”, exemplificou, e logo completou. “Mas meu desejo para 2018 é que minha filha consiga construir uma casa. Assim, eu posso sair do aluguel”. Na foto, a família: dona Doralice, Andréia, Jéssica e Ana Carolina Aparecida Digioli Gomes, de 18 anos, nora de Andréia.


A ajudante geral Gabriela Tatiane Ribeiro, de 22 anos, está feliz com o que conseguiu no final de 2017: um emprego. E pretende se manter empregada em 2018. “Tenho dois filhos e quero juntar dinheiro para fazer coisas simples”, disse. Ela também sonha em comprar um carro e trocar os móveis de sua casa em 2018.


#holambra #planejamento

0 visualização