• Da redação

Holambra cumpre seus compromissos com o funcionalismo, afirma Prefeito


Diante de um cenário econômico desestimulante, Holambra, em 2017, sobressaiu

Em outras épocas, cumprir compromissos de pagamento seria apenas uma regra. Porém, em tempos de arrocho financeiro, recessão, crise, desaceleração da economia e má gestão pública, receber em dia passou a ser quase um privilégio.

Diante de um cenário econômico desestimulante, Holambra, em 2017, sobressaiu. Em entrevista ao JC Holambra, o prefeito Dr. Fernando Fiori de Godoy faz um balanço do ano passado e lembra que Prefeitura cumpriu rigorosamente todos os seus compromissos com o funcionalismo público.

JC Holambra: Quais as diferenças do primeiro ano (2013) do primeiro mandato para o primeiro ano (2017) do segundo mandato?

Dr. Fernando: São muitas as diferenças, são momentos completamente diferentes. Em janeiro de 2013 encontramos uma administração municipal completamente desestruturada, prejudicada em inúmeros serviços essenciais à população. Repartições públicas e equipamentos abandonados, frota de veículos sucateada entre tantas outras situações de descaso e desrespeito ao patrimônio público que configuravam uma triste realidade para o município. Em 2017, depois de quatro anos de muito trabalho, Holambra desfrutava de condições completamente diferentes. Inúmeros importantes investimentos foram feitos a partir de 2013 nas mais diversas áreas com o objetivo de recuperar o tempo perdido e elevar novamente a qualidade de vida e o bem-estar da população holambrense.


Dr. Fernando: Fizemos no ano passado na Prefeitura uma importante readequação dos salários base justamente para recuperar a perda salarial de anos anteriores

JC Holambra: Qual o balanço que o Sr. faz de 2017? Quais os acertos?

Dr. Fernando: 2017 foi um ano altamente positivo para Holambra. Um ano de importantes avanços em diversos setores com destaque para a implantação da primeira Faculdade das Flores do Brasil e a execução do projeto pioneiro e inédito em parceria com a Secretaria Estadual de Agricultura com o objetivo de recuperar as nascentes, as matas ciliares, as estradas rurais e as áreas de degradação da bacia hidrográfica do córrego Borda da Mata.

JC Holambra: Quais as dificuldades de 2017? Houve erros?

Dr. Fernando: Sempre há muitas dificuldades e desafios na área pública. E em 2017 não foi diferente. A principal dificuldade que enfrentamos foi a escassez de recursos públicos especialmente como consequência da grave crise econômica que atingiu o Brasil nos últimos anos. O cenário de crise financeira enfrentado pelo Brasil dificultou bastante a liberação de recursos estaduais e federais para a realização de novos investimentos no município. Mas mesmo diante de todas essas dificuldades conseguimos superar as adversidades e realizar importantes obras e serviços públicos.

JC Holambra: Neste segundo mandato, o Sr. tem priorizado o ensino superior e o técnico. Mas como estão os investimentos na educação infantil e básica?

Dr. Fernando: A melhoria da educação básica e infantil sempre foi prioridade do nosso governo, desde o primeiro da nossa administração. Inúmeros foram os investimentos que fizemos nos últimos anos para melhorar a qualidade do ensino oferecido em sala de aula aos alunos, assim como para a atualização e qualificação dos nossos educadores e a ampliação do número de vagas oferecidas pela rede municipal. Os investimentos em Educação e Saúde cresceram mais de 50% nos primeiros quatro anos do nosso governo em relação à administração anterior. É um montante expressivo e que demonstra a seriedade com que tratamos dessas áreas. Investir e facilitar o acesso à formação técnica e ao ensino superior é também de fundamental importância para os holambrenses, no sentido de oferecer novas e boas oportunidades de formação educacional que irão garantir um futuro com muito mais possibilidades de ingresso e sucesso no mercado de trabalho.

JC Holambra: Esses investimentos, como novas escolas e creches, vão zerar o déficit de vagas, principalmente, nas creches?

Dr. Fernando: É possível que zerem, inicialmente. A demanda por novas vagas é bastante dinâmica e depende de outros fatores que variam a cada ano. Quando inauguramos a creche Abelha Rainha, no bairro Groot, chegamos a eliminar completamente a fila de espera. A nova unidade em construção no mesmo bairro irá gerar cerca de 130 novas vagas, reduzindo drasticamente a demanda ainda não atendida. As vagas criadas serão importantes para atender as famílias que precisam deste apoio do poder público.

JC Holambra: Assim como outros municípios, Holambra tem defasagem de professores na rede municipal? Como resolver essa situação?

Dr. Fernando: Estamos trabalhando bastante para avançar em várias frentes. Desde 2013 estamos realizando muitos investimentos de infraestrutura das unidades escolares, materiais pedagógicos de apoio aos alunos e qualificação e atualização dos professores da rede. Infelizmente não conseguimos resolver todas as necessidades. Estamos empenhados para valorizar cada vez mais nossos educadores, que são de fundamental importância para que a educação municipal alcance cada vem mais e melhores resultados.

JC Holambra: Quais as melhorias previstas para o funcionalismo público? Como resolver a defasagem salarial?

Dr. Fernando: Mesmo diante da grave crise econômica que atingiu o nosso país nos últimos anos a Prefeitura de Holambra cumpriu rigorosamente todos os seus compromissos com o funcionalismo público, como pagamento de 13º, férias, horas extras e salários sem atraso. Esta, porém, não foi e não é a realidade de muitos municípios brasileiros que não conseguem honrar seus compromissos financeiros com seus servidores públicos. Fizemos no ano passado na Prefeitura uma importante readequação dos salários base justamente para recuperar a perda salarial de anos anteriores. Concedemos aumento real de vencimentos aos funcionários com os menores salários. Criamos também, em 2013, a lei da revisão geral anual que já resultou em reajustes de mais de 30% nos salários dos servidores. Enfim, estamos trabalhando e nos esforçando muito para valorizar cada vez mais os nossos servidores municipais.

JC Holambra: Como o Sr. vê a postura e a manifestação de deputados aliados em temas polêmicos, como reforma da previdência?

Dr. Fernando: Não dá pra ficar de braços cruzados enquanto o Brasil atravessa uma das piores crises de sua história. É preciso fazer alguma coisa rápida capaz de estancar a sangria dos cofres públicos. A Previdência Social do Brasil está quebrada há muito tempo. Ela é altamente deficitária. Muitos deputados da nossa região estão em Brasília defendendo os interesses dos municípios, especialmente os pequenos que dependem bastante de recursos federais e estaduais para a realização de novos investimentos nas mais diferentes áreas.

JC Holambra: Este ano será um ano menor devido às eleições nacionais e estaduais. Isso dificulta mais a vida dos municípios?

Dr. Fernando: Ano de eleição sempre é um ano diferente. Por isso, em 2017 corri bastante em São Paulo e Brasília atrás de mais recursos para a nossa cidade. Tenho certeza de que 2018 será também um ano bastante produtivo e de boas notícias para Holambra. Estamos trabalhando muito para alcançar novas conquistas.

JC Holambra: Quais os desafios de administrar um município em meio a uma recessão?

Dr. Fernando: Não é fácil. Muito pelo contrário. Sempre é bastante difícil administrar e atender às expectativas das pessoas quando os recursos financeiros são escassos. Mas nesse tipo de situação é preciso abusar da criatividade e da austeridade. Combater o desperdício de recursos públicos é uma das estratégias para conseguir fazer mais com menos. Soluções criativas e otimização de recursos também fundamentais em tempos de crise. A boa gestão é essencial para atravessar essa fase fazendo com que a cidade avance apesar do momento do país.

JC Holambra: Na sua opinião, como será a eleição para governo do estado e presidência do país?

Dr. Fernando: Torço para que tenhamos um processo eleitoral que abra espaço para a discussão dos principais temas de interesse público do Estado de São Paulo e do Brasil. O Brasil precisa entrar num novo ciclo de desenvolvimento econômico e social, sem a irresponsabilidade que, infelizmente, contribuiu diretamente para a grave crise financeira que se estabeleceu no país nos últimos anos. Precisamos de um governo federal com responsabilidade econômica, que não gaste mais do que arrecada e que administre com transparência, em sintonia com os anseios da população.

JC Holambra: Eventos como o Neoland, quanto de recursos gera para o município (Imposto arrecadado)?

Dr. Fernando: A Noeland deu uma grande visibilidade na mídia para Holambra, o que é muito importante para reforçarmos nossa vocação turística. Outro fator positivo foi o acesso gratuito aos moradores de Holambra, por meio do Cartão Cidadão, a um dos mais produzidos espetáculos de Natal do interior paulista. Não dispomos ainda das informações relativas aos impostos arrecadados.

JC Holambra: Quando começa a reformulação da Rota?

Dr. Fernando: A remodelação da Rota dos Imigrantes deve recomeçar no final de fevereiro, início de março. A previsão de término é novembro de 2018. Ela inclui obras de drenagem, água e esgoto, paisagismo, além de iluminação ornamental, com forte observância dos quesitos de acessibilidade.

JC Holambra: Como foi o relacionamento com a Câmara em 2017? Teve devolução de dinheiro?

Dr. Fernando: A relação com o poder legislativo foi bastante produtiva em favor da população holambrense. Importantes projetos em defesa do interesse público local foram aprovados no decorrer do ano. Divergências políticas são comuns e críticas construtivas são muito bem-vindas, porém ataques pessoais, oportunistas, calúnias e difamação não me amedrontam nem intimidam. Os interesses de Holambra estarão sempre em primeiro lugar. Em relação à devolução de recursos, recebemos aproximadamente R$ 60 mil no final do ano passado, mesmo com os muitos investimentos feitos em modernização e melhorias na estrutura de trabalho do legislativo.

JC Holambra: Segundo dados do Caged, 2017 foi o ano em que Holambra gerou mais empregos em comparação com os últimos 15 anos. Como o Sr. explica essa marca positiva?

Dr. Fernando: Essa importante conquista é resultado direto de todo o nosso esforço e dedicação em atrair novos investimentos e empreendimentos para Holambra. Trabalhamos forte para divulgar cada vez mais o potencial econômico e turístico da nossa cidade.

JC Holambra: Holambra vem se firmando como modelo na área ambiental/rural. Como estão à implementação dos projetos, como o Nascentes e os projetos ambientais educacionais?

Dr. Fernando: O projeto Nascentes foi uma iniciativa inédita em parceria com a Secretaria Estadual de Agricultura, liderada pelo competente e dedicado secretário Arnaldo Jardim, que deu a Holambra a condição de referência no estado de São Paulo e até no país na execução de ações de preservação ambiental. Projetos ambientais educacionais são necessários e de extrema importância para a formação de futuros cidadãos muito mais conscientes quanto à necessidade do desenvolvimento de ações sustentáveis e ambientalmente responsáveis.

JC Holambra: Holambra pode ampliar o caminho do turismo rural, agregando suas duas grandes forças, turismo e agronegócios? A administração tem trabalhado neste sentido?

Dr. Fernando: Sim. Holambra tem um imenso potencial para o desenvolvimento do turismo rural. Por ter grande parte de seu território localizado na área rural, o município está avançando na direção de oferecer cada vez mais melhores condições de acolhimento do turista nesta região da cidade.

#holambra #Prefeito #FernandoFiorideGodoy

0 visualização