• Da redação

Curso de Cuidador de Idosos valoriza profissional no mercado de trabalho


Instituto educacional de Jaguariúna ministra aulas específicas sobre “home care”; interessados em ingressar não necessitam de experiência profissional ou graduação na área

Segundo dados divulgados em dezembro de 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na população brasileira há cerca de 20 milhões de idosos. De acordo com a assistente social e especialista em Gerontologia, Marilia Berzins, do OLHE (Observatório da Longevidade Humana e Envelhecimento), em entrevista ao site da empresa Essity (Tena - especializada em produtos e serviços relacionados à incontinência urinária), cerca de 25% a 30% dos idosos brasileiros necessitam de cuidados de terceiros, o que significa que seriam necessários mais de 7 milhões de cuidadores entre familiares que assumem a tarefa para si e profissionais contratados.

Porém, de acordo com a empresa, a demanda é muito maior e só tende a aumentar. Para suprir a falta de cuidadores, os familiares acabam assumindo os cuidados com os idosos, mas nem sempre essa é a melhor opção, já que é preciso ter alguém dedicado e que, por vezes, deixa de trabalhar para assumir o papel. Sendo assim, cada vez mais é perceptível a necessidade de profissionais devidamente especializados para a execução do cargo de cuidador, e é para esta formação que a Anjo Cuidador, em parceria com o G7 Instituto Educacional de Jaguariúna, promove o curso de Cuidador de Idosos.

A Anjo Cuidador é uma empresa especializada em “home care”, ou seja, no atendimento domiciliar a pessoas que necessitam de cuidados e que estão em sua própria residência, hospitalizados ou domiciliados em algum residencial para idosos. As tarefas do cuidador são para o auxílio ao idoso quanto a alimentação, no preparo ou na ajuda para que este se alimente; higiene, auxiliando-o no banho e nas rotinas de suas necessidades fisiológicas (levando-o ao banheiro ou trocando as fraldas); Entretenimento, fazendo leitura de revistas e livros, levando-o para passear ou acompanhá-lo em alguma atividade física, além de promover uma relação de amizade e companheirismo; Medicação, acompanhando as medicações prescritas pelos médicos e seguindo as orientações da equipe de enfermagem (somente nas medicações orais, pois as injetáveis são de responsabilidade da enfermagem).

No curso de Cuidador de Idosos, que possui duração aproximada de 12 horas (4 dias) o profissional aprende a lidar com o idoso quanto a sua alimentação, técnicas para troca de roupas, organização de suas rotinas e técnicas de primeiros socorros. O curso é ministrado por uma enfermeira, que ensina ao aluno a teoria e a prática por meio de aulas expositivas e através do conhecimento dos equipamentos de apoio ao cuidador. O profissional, na maioria das vezes, será responsável por auxiliar pacientes que convivem com doenças neurodegenerativas, como Alzheimer, e outros tipos de enfermidades. Há também pacientes pós-cirúrgicos, que necessitam do auxílio.

Valorização profissional

A Anjo Cuidador, em parceria com o G7 Instituto, já formou mais de 200 (duzentos) profissionais. De acordo com Ana Cláudia Mendes, diretora acadêmica e coordenadora de cursos no Instituto, ainda há poucos profissionais capacitados em paralelo a população de idosos, que cresce ano a ano. Segundo ela, para quem deseja ingressar nesta área, haverá boas oportunidades de emprego. “O IBGE mostra que em 40 anos a população idosa vai triplicar no Brasil e passará de 19,6 milhões (10% da população brasileira), em 2010, para 66,5 milhões de pessoas, em 2050 (29,3%). Além do aumento da população de idosos, a expectativa de vida também aumentou de 62,5 anos, em 1980, para 70,4 anos, em 2000, e 75,2 anos em 2014. Portanto, o futuro nesta área é muito promissor”, afirmou.

Encaminhamento para o mercado

Além de promover o curso, a Anjo Cuidador também é responsável por realizar todo o processo de recrutamento e seleção para o encaminhamento de profissionais (cuidadores e técnicos de enfermagem) ao mercado de trabalho. De acordo com a auxiliar administrativa e estudante de psicologia Regiane Almeida, uma das responsáveis por realizar o processo empregatício, o recrutamento e a seleção do profissional se dá da seguinte maneira: a empresa recebe a demanda do cliente, que geralmente é um membro da família, solicitando um profissional para cuidar da pessoa necessitada. Após receber a demanda, é identificado qual o profissional que esta família necessita: um cuidador, auxiliar ou técnico de enfermagem.


Regiane Almeida (esq.) é uma das responsáveis por realizar o processo empregatício, recrutamento e seleção do profissional. Crédito das fotos: Maria Elisa Moraes

Após o alinhamento com o cliente, a empresa inicia o processo de recrutamento e seleção: “A vaga em aberto é divulgada (geralmente no Facebook do Instituto) e também aproveitamos para recrutar através de nosso banco de dados (currículos cadastrados). Se o paciente residir em Jaguariúna, por exemplo, damos preferência para o profissional que mora na cidade. Após selecionar os candidatos, entramos em contato para fazer a entrevista, explicando através dela quais os tipos de trabalho que eles deverão realizar na casa. E então é feita a seleção: verificamos quais entrevistados possuem o perfil adequado, de acordo com a demanda do cliente”, afirmou Regiane.

Segundo a auxiliar administrativa, através da parceria entre a Anjo Cuidador e o G7, sempre que uma vaga é aberta o instituto dá preferência para as pessoas que fizeram o curso oferecido pelo mesmo. “Parece ser algo simples cuidar de um idoso. Porém, é e ao mesmo tempo, não é. O idoso tem suas complexidades e suas necessidades. Sendo assim, o cuidador é recrutado de acordo com o caso. O profissional, após selecionado, é inserido na casa e, ao longo de seu trabalho, é acompanhado por uma técnica de enfermagem, que acompanha e supervisiona o mesmo”, disse.

Paixão em cuidar

Wanda Siqueira (53), de Jaguariúna, fez o curso de Cuidador promovido pelo G7 em novembro de 2016 e já trabalha como cuidadora profissional há um ano. Segundo ela, a paixão pela profissão vem desde os nove anos de idade, quando ia ao trabalho da mãe, em um asilo situado em Cachoeira Paulista/SP. “Sempre gostei de cuidar. Com dezessete anos realizei os primeiros trabalhos como cuidadora. Há quatro anos atrás, quando me mudei para Jaguariúna, tive de começar a obtenção de renda trabalhando em uma fábrica. Porém, quando fiquei sabendo do curso, decidi largar meu emprego e realizá-lo, pois sabia que era disso que eu gostava e, após dois meses, já estava novamente empregada”, conta.


Atualmente Wanda cuida de um senhor de 43 anos, que convive com um AVC. Segundo a cuidadora, o curso foi essencial para o reforço de seu profissionalismo e é totalmente recomendável, para que os que gostam de exercer a profissão, realizá-lo para aprender como cuidar de um paciente corretamente. “O curso realmente nos dá um empurrão para a vida profissional. Após concluí-lo, me senti mais segura para atuar pois conheci mais sobre a área e aprendi as técnicas”, disse. “Eu já havia cuidado de outras pessoas antes mas não com este profissionalismo que o curso proporciona. Sinto a diferença do meu trabalho na vida do meu paciente: Quando comecei, ele não saía da cama e usava fraldas. Após 6 meses de trabalho, ele parou de usá-las e o animei para todos os dias, levantar da cama. Ou seja, o curso proporciona uma grande realização profissional e pessoal para os que amam cuidar”.

Ingresso

Segundo Ana Cláudia, para iniciar o curso o candidato deve ter no mínimo 16 anos, ter cursado o Ensino Fundamental completo mas, principalmente, vontade de atuar na área. Para se inscrever, basta comparecer à sede do Instituto G7 - Rua Maria Ângela, 390 - Sala 07 – Centro (BestCenter - Shopping/Galeria), Jaguariúna/SP – portando uma cópia simples do RG. O valor da matrícula é de R$ 30,00 e o do curso, R$ 150,00.

#jaguariúna #capacitação #idosos

97 visualizações