• Da redação

Representatividade feminina na Câmara de Holambra é maior do que a média da RMC


Mulheres ocupam 22% das vagas no Legislativo holambrense enquanto a média é de 9,8% na região

A Câmara de Holambra tem proporcionalmente o dobro de representatividade feminina do que a média das outras Câmaras da RMC (Região Metropolitana de Campinas). Apesar disso, a presença das mulheres em cargos eletivos parlamentares ainda é muito menor do que de homens.


Em Holambra, Naiara Hendrikx (PMDB), atual presidente, e Jacinta Heijden (PSDB) ocupam duas das nove vagas do Legislativo, o que corresponde a pouco mais de 22%. Na Região Metropolitana de Campinas a média de mulheres nos Legislativos é de 9,8%: são apenas 29 entre 296 vereadores.

Entre as 20 cidades que compõem a RMC, em quatro Legislativos não há sequer uma representante do sexo feminino. A baixa representatividade feminina na região acompanha os índices nacionais.

De acordo com um levantamento realizado pela Inter-Parliamentary Union(IPU) sobre a presença feminina em parlamentos, o Brasil ocupa a 152ª posição em uma lista com 190 países. As mulheres ocupam 8,77% das cadeiras na Câmara Federal (são 45 em um total de 513 deputados federais) e 11,9% no Senado (10 entre 84 senadores).


Na Assembleia Legislativa de São Paulo, são 10 mulheres entre os 94 deputados estaduais(10,6%).Os números que demonstram a pequena presença feminina nos parlamentos brasileiros contrastam com a atual composição do eleitorado no país, que tem as mulheres como maioria: são 52,13% do total.

Para a presidente da Câmara, Naiara Hendrikx, as mulheres podem contribuir de forma decisiva na política, mas é necessário que as pessoas confiem em sua competência: "A sensibilidade e capacidade feminina fazem toda a diferença para causas que envolvem nosso dia a dia tais como emprego, economia, saúde e educação. Precisa haver mais confiança nas representantes mulheres porque elas sabem ser guerreiras também na política."

#diadamulher

0 visualização