• Da redação

Nutricionista ensina como controlar a balança nos dias frios



É comum nos dias mais frios do ano deparar-se com delícias mais calóricas e acabar comendo mais do que no verão. Porém, isso não é gula, tem uma explicação. "Como a temperatura externa durante o inverno é mais baixa, o corpo precisa trabalhar mais para manter a temperatura interna equilibrada. Por isso, precisamos de mais comida para obter mais energia para o corpo funcionar", explica a nutricionista Daiane M. Fontana.

De acordo com a profissional, no período do inverno é comum gastar um pouco mais de calorias, o que resulta na sensação de mais fome. "Seria como uma compensação do corpo para proteção, algo instintivo", salienta.

Entretanto, algumas pessoas acabam extrapolando, usando esta desculpa para passar dos limites e comer mais do que o necessário. Para evitar briga com a balança, a nutricionista conta que o segredo é o equilíbrio. "Quando nos privamos de algum alimento que estamos com vontade, acabamos perdendo o controle e acabamos consumindo mais do que o correto”, alerta.

Segundo a nutricionista, se está com vontade de comer um doce ou um prato mais calórico, deve-se fazer de forma consciente: "Opte por um tipo e coma uma quantidade regrada. Evite também repetir a guloseima", indica Daiane, que revela que algumas pessoas encontram o equilíbrio mais fácil quando seleciona um dia da semana para comer um prato mais calórico, seja salgado ou doce.


Fondue, chocolate quente, doces, massas, sopas incrementadas e pães são alguns dos exemplos típicos de receitas da estação mais fria do ano. Saiba como deixar os pratos mais lights.

Massas: evite molhos à base de queijo e use molhos à base de tomates, que são menos calóricos e gordurosos. Troque a massa refinada pela integral. “Isso ajuda no controle do peso. A massa integral tem mais fibras e mantém a saciedade por mais tempo.”

Manteiga e creme de leite: estes alimentos são calóricos e fontes de gorduras ruins. “Podem ser substituídos por creme vegetal, leite, iogurte desnatado e maionese.”Doces: Quando aparecer aquela vontade de comer um docinho, não passe vontade: opte por um tipo e tente se satisfizer com apenas uma unidade. “A dica valiosa é a moderação”.

Açúcar: diminuir a quantidade de açúcar nas receitas também é uma ótima saída. Dê preferência ao mel, açúcar mascavo ou demerara. Se possível, tente se habituar ao sabor natural e não adoce a bebida. “Com o passar do tempo, o paladar começa a cada vez mais se adaptar ao sabor menos doce”, ressalta.

Pães: é tendência da estação exagerar na quantidade do pãozinho ou torrada para acompanhar algumas receitas. “Para evitar o exagero, reserve apenas um pedaço de pão e, de preferência, o integral.”

Sopas: as sopas de legumes são ótimas opções. “Porém, evite o velho hábito de incrementar os caldos com creme de leite, farinha refinada e carnes.

”Saladas e vegetais: com a queda de temperatura, comumente a saladinha fica menos “saborosa”. Ainda assim, os alimentos dos grupos das hortaliças não devem ser deixados de lado. “Aposte em preparos refogados e ao vapor, como couve, brócolis, cenoura, vagem, entre outros.”

Bebidas quentes: chocolates quentes, capuccinnos, frapuccinos e bebidas do tipo são “bombas calóricas”, ainda mais se tiverem chocolate extra, chantilly, marshmallow, que é comum nas cafeterias. “Alguns copos chegam a ter mais de 300 calorias.”

Para não passar vontade em uma noite fria, uma alternativa é fazer a sua própria bebida em casa. “Chocolate quente? Use leite desnatado e cacau em pó. O capuccinno segue a mesma receita, mas feito com café. Outra dica importante: leite quente polvilhado com canela. Tem gostinho de inverno”, garante a nutricionista.


13 visualizações