• Da redação

Saúde Auditiva realiza diagnósticos nas escolas



Das 142 crianças que fizeram exames auditivos, 111 não apresentaram problemas

Durante pouco mais de um mês, 142 crianças da Escola Municipal Recanto das Palmeiras participaram do projeto “Saúde Auditiva”, sendo que 111 não apresentaram nenhum problema durante exames realizados para diagnóstico de possível perda auditiva. Porém, 31alunos foram encaminhados para remoção de cerume (30) ou corpo estranho (pedaço de papel no ouvido de uma das crianças). Cruzando os dados com o rendimento em sala de aula, foi constado que as 31 que apresentaram problemas auditivos estão entre as 50 que frequentam o reforço escolar.

O projeto é uma parceria entre os departamentos de Educação e de Saúde e consiste em três etapas para avaliar a integridade da audição dos alunos do Fundamental 1. São diagnosticadas desde má formação até obstrução do canal auditivo e perda auditiva, a partir de uma avaliação geral de todas as partes do aparelho auditivo (externo, médio e interno).

De acordo com os diretores dos dois departamentos, Alexandre Moreira e Valmir Iglecias, o projeto seguirá para as escolas Novo Florescer (Fundão), Flamboyant e Jardim das Primaveras, somando cerca de 600 alunos, além dos professores.

Iglecias explicou que a retirada de cerume aconteceu na Policlínica, após aprovação de um responsável. “Este procedimento é feito pelo médico (otorrino) e os pais acompanharam seus filhos”, frisou. Moreira completou que além do acompanhamento da Saúde, a Educação também verificará o rendimento do aluno. “Se a criança não ouve direito, ela não entende o que o professor está ensinando”, resumiu o diretor, ao pontuar que, às vezes, o baixo rendimento “até pode ser confundido com outros problemas”.

A enfermeira Jane Bertolazo acompanhou os exames e destacou que o projeto integra o programa “Saúde na Escola”. Das 31 crianças que registraram problemas, quatro foram encaminhadas para avaliação na Unicamp. “Caso seja confirmada a necessidade de um aparelho auditivo, a Unicamp tem disponibilidade para fornecê-lo”.

Lúdico e muito mais

Antes da realização dos exames, as crianças aprenderam um pouco mais sobre os cuidados necessários com o aparelho auditivo através de um teatro que contava com personagens bem familiares, entre eles a Dona Orelha, Cotonete e Escova. Moreira ressaltou a importância desta parte lúdica, a qual ajuda no processo pedagógico, permitindo às crianças aprenderem com mais facilidade.

Iglecias e Moreira adiantaram que o prefeito Fernando Fiori de Godoy solicitou aos dois departamentos um protocolo de saúde para cuidar dos alunos. Assim, além dos exames auditivos, outros projetos serão reforçados, como a saúde bucal e exames de vista. “Focaremos todos os exames que possam contribuir para uma melhor saúde do aluno. Se ele tem melhores condições de vida, terá um ganho enorme em sala de aula”, avaliou Moreira.

Iglecias informou que estudam a disponibilidade integral de especialistas para atendimento nas escolas, entre eles fonoaudiólogo, psicólogo, terapeuta ocupacional e dentista. “Esse atendimento já acontece, mas, agora, vamos estudar a possibilidade de ser permanente”.

A caderneta de vacinação dos alunos também será avaliada e será criado um canal direto entre Educação e os PSFs: ao perceber qualquer problema com o aluno, a escola poderá ligar e agendar uma consulta com o pediatra. “Queremos facilitar para os pais. Quando a consulta for agendada, ele será informado para acompanhar seu filho. Mas se a data não for conveniente, poderá ligar no PSF para remarcar”. Segundo os diretores, além de garantirem todas as condições para que a criança cresça saudável, outro objetivo é “envolver a família no processo de cuidar da criança”.


0 visualização