• Da redação

Alunos das escolas municipais participam de formatura do Proerd

Centenas de pessoas estiveram presentes para celebrar mais uma etapa da vida das crianças



A noite da última terça-feira (25) foi de comemoração para os alunos da rede municipal de Holambra, que participaram da formatura Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd). Famílias dos alunos, professores, diretores e amigos comemoraram mais um passo na vida acadêmica das crianças, juntamente com o vice-prefeito Fernando Capato (PSD), o Secretário de Educação de Holambra e líderes da Polícia Militar e Polícia Civil da Cidade. A banda regimental da polícia militar do CPI 2 também esteve presente promovendo a trilha sonora do evento.



O evento começou as 18h, e para a diretora da Escola Primaveras, Eliana Esberci, tudo valeu a pena pois coroou o esforço de toda a diretoria de ensino em trabalhar valores como respeito e força de vontade nas crianças. “É um processo que começou no início do ano, e hoje colhemos os frutos que tivemos ao logo desse tempo”, afirma. Roseli Siveira, mãe do aluno Eduardo, da mesma escola, relata que sentiu a diferença no comportamento do filho depois desse projeto. “Ele criou consciência sobre o perigo das drogas e confio um pouco mais que ele vai saber como lidar quando alguém vier oferecer”, comenta.



Para a cabo da polícia militar de Holambra e professora do projeto Andi Mastromonico, mesmo depois de tantos anos falando sobre o mesmo tema, as sensações que ela sente em cada formatura é diferente. “Cada turma é especial e totalmente diferente apesar da expectativa ser sempre a mesma: sair todo mundo preparado para a vida”, explica. A policial comenta ainda que, com o aumento da tecnologia, o perfil das crianças também muda e o desafio é continuar adaptando as aulas e métodos para a linguagem atual. “O conteúdo das apostilas muda, mas as aulas de civilidade, não uso de drogas e a não prática de violência são valores que permanecem”, ressalta. O PM Souza, 2º sargento da Polícia Militar de Holambra concorda com isso e enfatiza: “O ensinamento que é a tomada de decisão, não serve só pra agora, mas para a vida toda, estando presente em todos os caminhos que esses futuros adultos forem tomar”. Uma noite memorável para os pequenos, que estão preparados para os desafios da adolescência e vida adulta.




Ações em todo o estado

A Secretaria Estadual da Educação lançou nesta quarta-feira (26) o programa São Paulo contra as Drogas na Escola Estadual Abino Cesar, na Zona Norte, que receberá as ações como projeto piloto. O programa será estendido para toda a rede estadual e inclui feiras itinerantes para abordar os efeitos das drogas no ambiente familiar, palestras, além de atividades em sala de aula para mostrar histórias reais de jovens que abandonaram o vício.

A ação é uma parceria conjunta da Educação com a Secretaria de Justiça e Cidadania e a Secretaria da Saúde e marca o Dia Mundial de Enfrentamento das Drogas celebrado nesta quarta.

O projeto também contará com a participação do Centro Paula Souza, por meio de cursos das Etec e Fatecs e do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) que divulgará oportunidades de estágios como forma de mostrar ao jovem as possibilidades que ele tem após sair da escola. Além disso, haverá atividades em sala de aula com objetivo de mostrar histórias reais de jovens que saíram das drogas.

“Queremos falar com todos os adolescentes, porque a droga atinge todas as camadas sociais, todas as idades. É nossa obrigação ajudar e erradicar, matando o mal pela raiz, e essa raiz começa na sala de aula, na conscientização de nossos jovens”, explica Maria Elizabeti Gambini, subsecretária de acompanhamento de São Paulo.


Feiras e palestras

O Centro de Integração da Cidadania (CIC) também montará uma feira itinerante em escolas para mostrar os efeitos das drogas no ambiente escolar, familiar e pessoal na vida do indivíduo. Outro braço de atuação será a promoção de palestras em conjunto com o Centro de Reestruturação para a Vida (Cervil), organização sem fins lucrativos que atua no apoio aos familiares.

“O papel do Estado é dar aos jovens a possibilidade de escolhas, e queremos que eles façam boas escolhas. Que sejam proativos, tenham espírito empreendedor e comunitário. Este programa é de articulação entre secretarias, porque o problema é de todos”, pontua Paulo Dimas Mascareti, secretário da Justiça e Cidadania.

“O combate das drogas é um tema que afeta o cotidiano escolar e muda nosso fazer pedagógico. Por isso precisamos desse apoio conjunto”, pontua Elias de Oliveira, diretor da Escola Estadual Abino Cesar, que sediou o lançamento do programa e receberá o projeto piloto nas próximas semanas.

Atualmente, São Paulo já conta com outras ações de enfrentamento às drogas, como o Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) e o Programa Recomeço e a Lei Antiálcool para Menores.



0 visualização