• Da redação

Campanha segue durante todo o mês

Conheça a história de uma holambrense que venceu a doença graças aos exames preventivos.

O Outubro Rosa é focado em ações práticas e de conscientização sobre a importância das mulheres realizarem os exames preventivos anualmente e também, assim como os homens, se auto avaliarem regularmente.

Neste ano, segundo o Departamento Municipal de Saúde de Holambra, o trabalho será focado em reforçar a orientação e prevenção ao câncer de mama feito durante todo o ano. “Iremos incentivar a realização de mamografias, auto exames e consultas frequentes com médicos ginecologistas e clínicos nas unidades de saúde. Os profissionais de saúde estarão uniformizados e engajados na ação”, afirma o diretor da pasta Valmir Marcelo Iglecias.

De acordo com o departamento, as ações de prevenção ao câncer de mama são realizadas durante todo ano, e neste mês, em função do movimento “Outubro Rosa” elas serão reforçadas por meio de campanha educativa e de conscientização. Neste ano, em função da pandemia do novo coronavírus, não haverá a distribuição de material informativo impresso e a campanha será realizada por meios eletrônicos.

Quanto às ações práticas de prevenção, o exame de mamografia é feito no município por meio do consórcio CISMETRO, e mulheres acima de 40 anos que não fizeram este procedimento nos últimos 12 meses devem procurar a unidade de saúde mais próxima de sua casa para agendar uma consulta com um médico ginecologista, que é o profissional responsável pelo encaminhamento. Com a solicitação em mãos e com o Cartão Cidadão, a moradora deve ir até a Policlínica Municipal para agendar o exame. O departamento municipal de Saúde também oferece apoio psicológico, orientação e acompanhamento das pacientes. Já o tratamento, que é de alta complexidade, é realizado na Unicamp ou em outras unidades de referência do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Câncer de mama é um assunto sério. O movimento Outubro Rosa tem como principal objetivo a conscientização e o diagnóstico precoce da doença. Mas é importantíssimo reforçar que prevenção e cuidado com a saúde devem acontecer durante o ano todo”, destaca Valmir.

Exemplo e prova de vida

Uma prova de vida e de que realizar os exames preventivos é essencial para o diagnóstico precoce e um tratamento mais rápido e efetivo contra o câncer. Adenis Alves dos Santos Moretto, 44 anos, é moradora de Holambra e iniciou sua luta contra o câncer de mama em Junho de 2018 , e graças ao ao rápido diagnóstico hoje está totalmente saudável.

“Em junho fui buscar o remédio que eu tomava no postinho, e lá tinha uma enfermeira. Eu aproveitei o momento para falar com ela e disse que havia identificado uma bolinha perto do seio, uma bolinha que conforme eu passava o dedo, corria pela região. Desconfiada, essa enfermeira pediu para um médico da cidade verificar.Fiz o exame de sangue e o ultrassom e o médico, desconfiado, em setembro pediu uma biopsia e disse que provavelmente era uma bolinha de gordura. Entretanto, no momento do exame, descobriu-se que era um câncer de pele, pois ele já havia penetrado nela.

A partir de então iniciei a ida ao demarto, na Unicamp, para realizar a dermatoscopia. Em novembro fiz outra biopsia e deu o mesmo resultado; O médico dermato pediu uma cirurgia para janeiro de 2019 para descobrir qual era o real diagnóstico, e até lá, esse bolinha cresceu para o tamanho de uma ameixa. Após a cirurgia, deu o mesmo resultado só que em grau muito agressivo. O dermato continuou desconfiando do resultado e em 23 maio de 2019, refez todos os exames com a equipe dele.

Após este período a bolinha renasceu, mas como uma trouxinha com várias bolinhas. Tiramos uma amostra novamente e em julho ele me levou para o oncologista. Esse meu médico me ajudou muito e fez toda a entrada de papéis para mim. Em 24 de julho, a médica da oncologia me chamou, e depois de 3 biópsias, enfim, descobrimos que o câncer era de mama e foi para a pele. Fiz novamente exames de sangue, mamografia e outros exames e em menos de 30 dias eu já fui para a cirurgia no Hospital Caism, na própria Unicamp.

Após a cirurgia, fiz quase 1 mês de fisioterapia, depois fiz quimio e radioterapia. Eu não tinha mais nada. mas como ele vinha de um estágio muito agressivo, poderia voltar. Até dezembro de 2019 foram cerca de 70 seções entre quimio e rádio. Em agosto desse ano enfim recebi a notícia que estava tudo bem, mas continuamos monitorando.

A maior dificuldade que enfrentei era sentir tudo na quimio. O sentimento que vem é de que parece que você não vai aguentar, mas você tem que lidar com ele todos os dias.

Acredito que tenhamos de ver isso como uma vitória, porque após olhar para trás você sente orgulho de você mesma por ter dado o seu máximo nessa luta. Se você lidar com isso com auto estima, você verá que está lidando com uma nova história, uma nova perspectiva de vida. Você tem que cuidar da sua saúde e ensinar as outras pessoas a cuidarem, somos nós que temos que nos ajudar. O que ajuda muito é realmente o apoio das pessoas na parte psicológica: a união no Caism entre as meninas é lindo! Minha pastora, meu filho, meu marido e minha família fizeram toda a diferença! Gostaria de agradecer a eles, ao meu médico e ao Hospital Caism e Unicamp, por todo apoio, carinho e cuidado.

Ter alguém do seu lado que possa te ajudar te enche de alegria, seja quem for!


Durante o tratamento Depois

Para todas as mulheres: Nunca pense que é só uma bolinha, porque essa bolinha pode ser o câncer. Deixar de ir ao médico devido ao medo de descoberta é pior do que descobrir cedo e ter o apoio de quem te ama. Nunca falhem nas consultas. Não fiquem muito tempo sem ir ao médico, não deixem de fazer os exames anuais. Se você cuida, o tratamento é muito mais rápido e as chances de você se curar são maiores. Você pode vencê-lo ao invés de deixar ele tomar conta do seu corpo.

Maria Elisa Moraes

15 visualizações