• Da redação

Casos de Covid-19 dobram em uma semana em Holambra

Número de pacientes infectados passou de 5 para 11; fluxo de turista cresce ‘discretamente’



Em uma semana, seis novos casos de Coronavírus foram confirmados, passando de cinco para 11 pessoas infectadas em Holambra. Nove holambrenses estão sendo monitorados pelo Departamento Municipal de Saúde, enquanto outros 11 foram descartados e três pacientes já estão curados.


Desde o início da pandemia, várias medidas foram implementadas e reforçadas pela administração para o enfrentamento do Coronavírus, mas a constante presença de turistas, mesmo sem os atrativos abertos, tem despertado questionamentos por parte de moradores que estão obedecendo o distanciamento social.


De acordo com a Prefeitura, o fluxo de visitantes cresceu “discretamente nas últimas semanas”. “A cidade, em razão da quarentena e das restrições impostas pelo poder público, tem sido mais procurada por visitantes de passagem – sobretudo ciclistas e motociclistas em passeio pela região. A indisponibilidade de hotelaria e restaurantes tem tornado breve a estada deste público nesse período”. A administração reforçou que Holambra fechou, ainda em março, seus principais atrativos turísticos e suspendeu, seguindo recomendações do Governo do Estado, o atendimento coletivo a público em bares e restaurantes. A divulgação turística realizada pela administração municipal também foi suspensa. Além disso, a Polícia Municipal orienta os visitantes para que evitem aglomerações e façam uso de máscaras de proteção facial. Por fim, afirmou a Prefeitura, placas com dicas de prevenção estão dispostas por toda a cidade e faixas com incentivo à permanência em casa e ao distanciamento social serão afixadas ainda esta semana.


Auxílio aos municípios

Há um projeto de auxílio aos municípios ainda em tramitação no Congresso que prevê, em princípio, a destinação de R$ 1,8 milhão a Holambra. A Prefeitura explicou que o objetivo desse pacote é recompor perdas causadas pela forte queda de arrecadação – de mais de 12%, equivalentes a meio milhão, somente no último mês em relação ao mesmo período do ano passado. “Não se trata, portanto, de recurso voltado exclusivamente ao combate ao novo Coronavírus – e sim à redução de seus impactos aos cofres públicos”, explicou a Prefeitura.


Fiscalização

Desde o início da quarentena, a Vigilância em Saúde fiscalizou 10 estabelecimentos e, desses, três foram lacrados devido ao “reiterado não cumprimento dos decretos estadual e municipal”. Outros dois foram notificados.

Entre os estabelecimentos lacrados, dois já foram reabertos após regularização de documentos e adequação às normas vigentes. A orientação, em casos como estes, é para que os responsáveis entrem em contato com o setor de Vigilância em Saúde a fim de sanar as irregularidades identificadas. As infrações mais comuns estão relacionadas a aglomerações. Bares, lanchonetes e restaurantes são os principais alvos de denúncias.


Helga Vilela

360 visualizações1 comentário