• Da redação

Cidade ‘enxuga’ reforma do portal em Holambra

Obra da Cidade da Criança também será retomada após reapresentação de projeto no Dade

Helga Vilela

O portal turístico de Holambra, um dos pontos mais fotografados pelos turistas, deve passar por reforma em breve. Mas o projeto, antes avaliado em R$ 350 mil, foi cortado quase pela metade e a nova proposta apresentada ao Departamento de Apoio e Desenvolvimento às Estâncias (Dade) será de R$ 200 mil.

A informação é do diretor do Departamento de Obras, José Ricardo Cortez, e foi feita durante a última reunião do Conselho Municipal de Turismo (Comtur). Ele explicou que no projeto inicial, aprovado em 2018, constava, além da reforma do prédio, a revitalização do entorno, como paisagismo e iluminação LED. E lembrou que o convênio foi suspenso após a posse do governador João Dória. Porém, o portal não foi o único projeto a ter verba contingenciada: a quarta etapa da Cidade da Criança (sentido Palmeirinha), no valor de R$ 450 mil, também entrou no pacote, mas, na última semana, os dois projetos foram reapresentados e deverão receber o repasse do governo estadual.

Cortez disse que, este ano, Holambra teria direito a cerca de R$ 3 milhões através do Dade. E o governo estadual fez uma negociação: dentro deste valor, incluir os R$ 800 mil que foram cortados no ano passado, além dos repasses que estão atrasados referentes aos convênios da Rota dos Imigrantes e da terceira etapa da Cidade das Crianças, totalizando cerca de R$ 1,8 milhão. Desta forma, reforçou Cortez, “Holambra vai perder R$ 1,8 milhão esse ano”, mas as obras e os projetos já apresentados serão retomados. E completou: era ressuscitar os projetos ou perder a verba. “E não há sentido ter obra inacabada na cidade”.

Sobre o portal, Cortez informou que “enxugaram o projeto” para ter o repasse, pois seria inviável bancar a reforma com recurso próprio. “Só vamos mexer no prédio. Nas janelas, no gesso, nas portas. Vamos manter o padrão da obra, seguindo o estilo holandês”. Paisagismo e iluminação ficaram fora do novo projeto. O restante da verba que Holambra terá direito – cerca de R$ 1,2 milhão – deve ir para o projeto de abertura de rua na área central.


Obras paradas

Cortez também explicou a situação de duas obras que seguem paradas em Holambra: a etapa 2 do entorno do Moinho e a Rota dos Imigrantes.

Na área do moinho, o diretor informou que o projeto, que “nasceu no Comtur”, inclui seis lojinhas de alvenaria, banheiro e uma “rampa” que passa sobre o telhado dessas construções. O recurso já foi aprovado (mas a verba não entrou nos cofres públicos), a licitação foi feita e a obra foi estimada em R$ 816 mil. Porém, informou que a empresa vencedora da licitação não iniciou as obras e já foi notificada pela Prefeitura. E completou: caso a empresa desista da obra, são iniciadas conversas com as demais que participaram da licitação.

Outro impasse é a etapa 2 da Rota dos Imigrantes, já aprovada pelo Dade. Como houve alteração no projeto no decorrer das obras (estacionamento em ré voltou a ser estacionamento convencional), a empresa não concorda com os valores e novas planilhas foram feitas. Mas, ainda assim, há discordâncias entre os valores apresentados pela Prefeitura e pela empresa. Porém, Cortez informou que está confiante e acredita que as obras serão reiniciadas ainda em agosto.




0 visualização