• Da redação

Conheça a história de uma das escolas pioneiras de Holambra

Escola São Paulo completa 70 anos com evento comemorativo neste sábado (18)



Permanecer por 70 anos em uma cidade mantendo a qualidade e o bom nome não é para qualquer um. A Escola São Paulo, no entanto, superou as expectativas dos moradores de Holambra e continua se aperfeiçoar até hoje. Pioneira na cidade, a instituição nasceu em 1949, por iniciativa das religiosas holandesas da Congregação do Santo Sepulcro, da Cooperativa e do esforço dos imigrantes holandeses, com a finalidade de oferecer aos filhos destes últimos uma educação que atendesse às suas necessidades.



Com oficialização em 1951, a escola foi um apoio aos imigrantes e às famílias numerosas que chegavam para tentar a sorte neste país, após a 2ª Guerra Mundial. No começo, o local atendia somente as crianças do Ensino Primário (hoje fundamental). Atualmente, conta com educação para todas asas fases do ensino infantil até o ensino médio.

“A história da Escola São Paulo e a história de Holambra – antiga Fazenda Ribeirão- se somam, uma vez que a ESP nasceu exatamente para atender às necessidades dos imigrantes que aqui chegaram em 1949”, afirma Cida Rogel, Diretora Pedagógica da instituição. Para ela, a escola representa a chegada de uma cultura nova em seu sentido mais amplo e se destaca até hoje pelo espírito de cooperação, voluntariado e responsabilização.



Assim como a cidade se adapta as mudanças que vem com o tempo a Escola São Paulo também mudou. De acordo com a diretora Pedagógica do local apesar disso, a inovação e o empreendedorismo sempre fizeram parte da história da ESP. “Sua filosofia – Humanista – e sua Proposta Pedagógica – segundo as Irmãs do Santo Sepulcro – de ser uma escola de ensino forte, no sentido de responsabilização, permanecem firmes. No entanto, a ESP sempre esteve aberta às mudanças e inovações. Desde 2001 adota o material didático do Sistema Etapa”, explica.

O perfil dos estudantes também mudou. No período da fundação eram imigrantes europeus, acostumados com outro clima, outra educação e costumes. Por isso, as irmãs confeccionaram todo o material didático em português e em holandês para atendera eles. Criaram projetos para as moças e moços e contavam com a ajuda das famílias e da Cooperativa na manutenção do prédio. “Hoje, como todos os jovens da geração Geração Z, são crianças e jovens constantemente conectados e preocupados com o meio ambiente”, explica Cida Rogel. “O que têm se semelhante são o desejo de um futuro promissor, a consciência da importância do estudo o envolvimento nas atividades e o mais importante: espírito crítico”, complementa.



A partir das mudanças sociais e no constante uso de tecnologia para o ensino aprendizagem a escola também tem um desafio: estar conectada. Para a diretoria, isso apenas é possível com um corpo docente de excelência. Qualificações que a escola tem de sobra e mostrará à população numa confraternização que acontecerá neste sábado (18), a partir das 9h, se estendendo até o almoço. “Estamos ansiosos com a possibilidade do reencontro e da confraternização com quem fez e faz parte da família Escola São Paulo. Que seja um momento e muitas alegrias e troca de experiências”, finaliza a diretora pedagógica. O evento é gratuito, com exceção do almoço que custa R$ 40 para adultos, R$25 para crianças de 6 a 11 anos e gratuito para crianças de até cinco anos. A Escola São Paulo está localizada na R. Verônicas, 176 – Centro.

216 visualizações