• Da redação

Curso de Medicina abrirá 80 vagas para Jaguariúna e região

Centro Universitário de Jaguariúna irá abrir a primeira turma no segundo semestre de 2020. Ao todo são oferecidas 80 vagas por ano


A UniFAJ (Centro Universitário de Jaguariúna) confirmou na quarta-feira, dia 22 de abril, a conquista do curso de Medicina (humana) que irá beneficiar o município e região. O curso, previsto para iniciar no segundo semestre de 2020, irá oferecer 80 vagas por ano e foi avaliado com nota máxima (5) pelo MEC (Ministério da Educação) em todos os requisitos: projeto pedagógico, coordenação e corpo docente, e infraestrutura. A portaria que autoriza a abertura do curso na UniFAJ é a de número 125 de 22/04/2020, publicada nesta quinta-feira, 23, no Diário Oficial da União.

Cada uma das dimensões avaliadas (projeto pedagógico, coordenação e corpo docente, e infraestrutura) é composta por aproximadamente 20 subitens, totalizando mais de 70 itens que recebem notas individuais, e que em todos eles o curso de Medicina da UniFAJ recebeu nota máxima, o que a coloca entre os 5% dos melhores cursos do Brasil.

O projeto pedagógico é baseado nas mesmas metodologias usadas em Universidades como Harvard, Oxford e MIT. Na UniFAJ, os alunos trabalharão com promoção e prevenção, desde o primeiro ano do curso, nas Unidades Básicas de Saúde e hospitais parceiros no projeto. Os estudantes enfrentarão situações-problemas, proporcionando uma preparação singular, uma formação humanizada e capacitação para o mercado de trabalho a partir da ampliação do conhecimento, instigando o aprendizado, aprimorando habilidades e competências.

“Essa é a concretização de mais um sonho que vem sendo sonhado há tempos. É com muito orgulho e muita força que trazemos o curso de Medicina de Jaguariúna”, ressalta o reitor, professor Dr. Ricardo Tannus.

INFRAESTRUTURA

Um dos destaques do curso de Medicina de Jaguariúna é o CCEM (Centro Clínico de Especialidades Médicas), localizado na Rodovia Adhemar de Barros (SP 340), km 127, nº280, bairro Tanquinho Velho, que deve ser inaugurado em breve.

Este é o sexto campus da UniFAJ e conta com mais de 2.300 m² de área construída. O objetivo é atender a população de Jaguariúna e ser um espaço para a prática da Medicina pelos estudantes. O local beneficiará também cidades da região em diversos aspectos, entre eles o educacional e a melhoria nos índices de saúde pública.


O prédio é composto por anfiteatro; salas para atendimento de pequenos e grandes grupos; laboratório de habilidades em que os alunos, com bonecos e/ou atores, simulam cenário do cotidiano e profissionais altamente qualificados irão analisar, corrigir e melhorar os processos ensino-aprendizagem.

No campus também há enfermarias que simulam o ambiente hospitalar trabalhando de forma multidisciplinar a fim de preparar médicos qualificados e familiarizados com o processo saúde-doença. Além de laboratórios (100 ou 50m2, dependendo da atividade desenvolvida) destinados à realização de práticas.

PARCERIAS

O curso de Medicina de Jaguariúna já nasce com apoio de um conselho consultivo formado pelos doutores Paulo Chapchap, Silvano Raia e Giovanni Guido Cerri, todos do corpo médico do Hospital Sírio-Libanês, e pelo Prof. Dr. Robson Capasso, da Universidade de Stanford, numa estreita parceria com renomados centros de referência nacional e internacional em saúde.

Os médicos do conselho consultivo contribuem ativamente para o planejamento das atividades educacionais da graduação e de atenção à saúde de Jaguariúna, assim como fazem na UniMAX (Centro Universitário Max Planck) em Indaiatuba.

Também são parceiras as prefeituras de Jaguariúna, Holambra, Santo Antônio de Posse, Pedreira e Amparo e os hospitais de Jaguariúna, Pedreira, Amparo (Santa Casa Anna Cintra e Beneficência Portuguesa), o Hospital Samaritano e o HAOC (Hospital Augusto de Oliveira Camargo) em Indaiatuba.

PALESTRAS

Os membros do conselho consultivo ministrarão, ainda, conferências de temas específicos em suas áreas de atuação em eventos realizados periodicamente, abertos à comunidade acadêmica e população em geral como o Programa Fronteiras na Saúde do curso de Medicina da UniMAX.

Em Indaiatuba, o Programa já contou com Dr. Silvano Raia, primeiro médico a realizar um transplante de fígado na América Latina e o primeiro no mundo a realizar o procedimento em inter vivos; com Dr. Wallace Chamon, professor associado e de pós-graduação na UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo) e professor adjunto da Universidade de Illinois em Chicago (UIC) e; Mayana Zatz graduada em Ciências Biológicas e doutorado em Genética pela Universidade de São Paulo e pós-doutorado em Genética Humana e Médica pela Universidade da Califórnia.

Também contou com Giovanni Guido Cerri, Doutor em Radiologia e membro do Conselho Consultivo; Paulo Chapchap, diretor geral e presidente do Conselho de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês em São Paulo, também conselheiro consultivo; com o cirurgião Rodrigo Vianna, diretor do maior centro de transplantes dos EUA (Instituto de Transplantes de Miami) e; com o urologista, Miguel Srougi, professor Titular de Urologia na Faculdade de Medicina da USP.

Além de Aula Magna com Dr. Gonzalo Vecina Neto, que atua como professor assistente da Faculdade de Saúde Pública da USP; recepção de docentes com o chefe de Cirurgia do Sono e professor de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço da Faculdade de Medicina da Universidade de Stanford, Dr. Robson Capasso, e visita do professor e presidente da Faculdade de Medicina da Universidade do Minho em Portugal, Dr. Nuno Sousa.

143 visualizações