• Da redação

Doação de sangue acontece sexta-feira, 8 e terá novas regras


Hemocentro e Departamento Municipal de Saúde promovem coleta no salão da terceira idade


A adesão às campanhas de doação de sangue no Brasil sofre oscilações conforme o período – com diminuição no inverno e nas férias – e a pandemia do Coronavírus pode ser mais um fator desfavorável devido ao medo do doador em se contaminar, além de restrições caso ele tenha tido contato com pacientes que apresentaram sintomas de Covid-19.

Na próxima sexta-feira, dia 8, o Hemocentro de Campinas e o Departamento Municipal de Saúde farão a segunda etapa do ano da Campanha de Doação de Sangue, das 8h às 13h, no Salão da Terceira Idade. O objetivo, frisou o diretor de Saúde, Valmir Marcelo Iglecias, é contribuir para a manutenção do estoque durante a pandemia. “Recomendamos que pessoas acima de 60 anos não façam a doação dessa vez, assim como pessoas que apresentarem sintomas respiratórios”, disse, ao resumir que os doadores devem manter a rotina de higiene, usar máscara e respeitar o distanciamento durante a espera para a doação.


Novas regras


A assistente social da Captação de Doadores de Sangue do Hemocentro, Roberta Santos, adiantou que foram estabelecidas algumas estratégias para o acolhimento dos doadores de sangue neste período de pandemia: o profissional de acolhimento orienta todos os doadores a permanecerem em ambiente externo e aberto, além de fazer um questionamento sobre presença de febre ou sintomas respiratórios nos últimos 14 dias. “Caso positivo, o doador é dispensado imediatamente e orientado a procurar o serviço de atenção básica e manutenção de sintomas, conforme recomendação das autoridades sanitárias. E só poderá retornar para a doação de sangue após 30 dias”, resumiu.

As regras também se aplicam aos profissionais de saúde: caso tenham tido contato com pacientes com febre ou sintomas gripais nos últimos 14 dias, serão orientados a retornar para doação após 14 dias do último contato com indivíduos nessa situação.


Os candidatos à doação farão a higiene das mãos em cada etapa do processo: na recepção (álcool gel), na pré-triagem (lavagem de mãos com água e sabão e/ou aplicação de álcool gel) e na sala de coleta (álcool gel). Também são orientados a não fazer uso do celular durante todo o procedimento. Por fim, os profissionais de acolhimento vão controlar o acesso ao ambiente de coleta, restringindo a entrada de acompanhantes para evitar aglomerações. A assistente social completou que estão gratos à população que tem doado sangue e adiantou que as pessoas também podem agendar a sua doação, com horário marcado, pelos canais de atendimento (www.hemocentro.unicamp.br ou https://agendamento.hemocentro.unicamp.br).


Segundo profissionais da Saúde, as complicações em virtude do coronavírus dificilmente vão necessitar de transfusões sanguíneas. Porém, pessoas com anemias crônicas, acidentes que causam hemorragias, complicações decorrentes da dengue, febre amarela, tratamento de câncer e outras doenças graves continuam ocorrendo. Em Holambra, a média é de 60 doadores em cada etapa da campanha e o departamento acredita que esse número será mantido na próxima semana. “Os estoques dos bancos de sangue estão, de uma maneira geral, mais baixos por causa da queda nas doações, em virtude do isolamento social”, finalizou Valmir.


Em 2019, o Hemocentro promoveu 215 coletas externas, sendo 190 realizadas em 40 municípios da região e 86 realizadas em 25 locais diferentes da cidade de Campinas. O Hemocentro atende o HC da Unicamp e hospitais conveniados.


Helga Vilela

48 visualizações