• Da redação

Durante inauguração da ETE Camanducaia, autoridades pontuaram conquistas de Holambra


Enquanto Holambra caminha para a universalização do tratamento de esgoto na área urbana, a situação do país é bem diferente. Na última quarta-feira, durante inauguração da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Camanducaia, o presidente da Concessionária Águas de Holambra, Ricardo Miranda, e o prefeito Fernando Fiori de Godoy enfatizavam as melhorias realizadas em Holambra nos últimos anos, as quais colocam a cidade “fora da curva”.

Segundo informações da Prefeitura, 98% da área urbana conta com rede de esgoto e o tratamento abrange 100% do esgoto que é coletado. Na inauguração da ETE, Miranda frisou que a realidade do saneamento básico no Brasil mostra o quanto Holambra tem caminhado na contramão: são mais de 100 milhões de brasileiros sem acesso à coleta e tratamento de esgoto e mais de 35 milhões (equivalente à população do Canadá) sem acesso à água tratada. “Nesse sentido, Holambra é um ponto fora da curva”, comparou.

Miranda ressaltou que a ETE traz, principalmente, dignidade para as pessoas, além de ser essencial para a qualidade de vida, preservação do meio ambiente e para o desenvolvimento do município. A nova estação, informou o presidente da concessionária, tem capacidade para tratar, diariamente, 172 mil litros de esgoto (o dobro do esgoto gerado atualmente no bairro), devolvendo para o Rio Camanducaia uma água em melhor condição do que quando captada. E garantiu: poucos municípios têm equipamentos com esta eficiência. “É uma conquista para todos os moradores e mostra o quanto a parceria (com a Prefeitura) vem trazendo melhorias”, completou, ao enfatizar que, dentro do cenário caótico de saneamento do país, Holambra é privilegiada.

Desde a concessão, em 2016, a Águas de Holambra reformou e modernizou a ETA do Jardim das Tulipas, revitalizou a ETE Cachoeira, fez o emissário até o Rio Jaguari, além de melhorias operacionais. “Nosso compromisso é a universalização do serviço. Então, à medida que a cidade se expandir, atenderemos esse crescimento, sempre investindo em novas tecnologias para melhorar a eficiência do serviço”, finalizou Miranda.

Dr. Fernando relembrou a situação encontrada ao assumir a cidade – sem água e esgoto tratados e multa de R$ 4 milhões –, e os compromissosfirmadosjunto aosórgãos ambientais e à Promotoria Pública,voltados à melhoria do saneamento básico de Holambra. “Focamos nos tratamentos de água e esgoto, com a incumbência de chegar a 100% de eficiência na área urbana e trabalhar a área rural”, resumiu, ao citar a colaboração dos governos estadual e federal.

Ainda em relação ao bairro Camanducaia, adiantou que a partir de novos financiamentos abertos pela Caixa Econômica e Banco do Brasil e com a adesão dos moradores, a pavimentação será a próxima melhoria.

A autônoma Daniela Tergolino Proença mora no bairro Camanducaia desde 2003 e citou que a ETE era uma melhoria esperada por todos os moradores que, agora, ficarão livres das fossas. “Antes, muitas família precisavam solicitar a limpeza das fossas mensalmente”, exemplificou.

Daniela aguardava para quarta ou quinta-feira a visita de funcionários da Águas de Holambra para avaliação de como será feita a ligação da rede de esgoto em sua casa (até a calçada é responsabilidade do morador e da calçada até a ETE é da concessionária) e adiantou que, com a inauguração da estação, agora aguardam pelo asfalto. “Era preciso ter a ETE para depois trabalharmos no asfalto, que é uma solicitação antiga do bairro. Estamos buscando uma solução em parceria com a Prefeitura e já conseguimos a adesão de mais de 60% dos moradores, pois custearemos a frente de nossas casas”, resumiu, ao referir-se ao financiamento junto à CEF. Nesta proposta, a Prefeitura ficará responsável pela execução do serviço e custeará as áreas comuns.

O superintendente do Saehol (Serviço de Água e Esgoto), Geraldo Veloso, acompanhou a construção da ETE e destacou que, agora, todos os moradores precisam solicitar a ligação junto à concessionária. Ele informou que o bairro conta com 82 imóveis, sendo que 20 já fizeram a interligação da rede até a ETE.

12 visualizações