• Da redação

Faagroh forma 1ª turma de tecnólogo

Faculdade começou em 2017 com objetivo de ser referência na área de agronomia

“Formatura é o fechamento de um ciclo; é quando o aluno torna-se profissional e está pronto para o mercado de trabalho. Mas formar a primeira turma tem um significado especial, pois foram os primeiros alunos que acreditaram na nossa proposta. É a realização pessoal de cada aluno e será um marco inesquecível para eles e para a Faagroh”. A avaliação, feita pelo diretor institucional da Faculdade de Agronegócios de Holambra, Geraldo Eysink, marca a conclusão da primeira turma de tecnólogo em agronegócio, curso iniciado em agosto de 2017.


Com dois anos e meio de atuação, a Faagroh – um braço da UniFaj – se manteve atenta às mudanças e necessidades de seus alunos. “Estamos sempre repensando os cursos. Modernizando, atendendo às expectativas. Os cursos são orgânicos, ou seja, temos que ficar atentos às mudanças, mas, obviamente, sempre dentro do que o MEC permite e com as devidas aprovações. Trabalhamos muito a questão prática, das palestras, das visitas técnicas, das atividades extracurriculares, dos simpósios e dos convênios.Desenvolvemos um modelo de aula onde a aprendizagem é de 80%, segundo estudos de Harvard, razão pela qual quase todos os alunos dessa turma já se tornaram empresários, consultores e estão empregados”.



Neste período, completou Eysink, “ficou claro a potencialidade do curso de agronomia”, que está no final do segundo ano de um total de cinco. “Oferecemos vários cursos de extensão e agora estamos preparando cursos de pós-graduação. Todos relacionados com culturas intensivas, agronomia. Esse é o nosso DNA e queremos ser reconhecidos, no Brasil e no exterior, por essa característica”, finalizou Eysink, ao citar o empenho do reitor Ricardo Tannus, do coordenador pedagógico Ronan Machado, da gestora administrativa Alessandra Belonci, do corpo docente, alunos e funcionários da Faagroh.

Entre os primeiros!


A empresária Roberta Cicivizzo Lazarov e os produtores rurais Gilberto Guimaro Filipini e Adilson Maceno estão entre os formandos da primeira turma de tecnólogo em agronegócios. E eles garantem: o curso foi ao encontro de suas expectativas ao proporcionar o aprimoramento das técnicas de cultivo, contato com as mais recentes tecnologias para a horticultura, aumento da rede de contatos com profissionais da área, abertura da visão para os novos negócios e para o mundo agrícola globalizado. Citaram que, em dois anos e meio, participaram de cursos, palestras e visitas técnicas que enriqueceram seus currículos e, recentemente, parte da turma teve a oportunidade de conhecer o World Horti Center, na Holanda, centro de estudos e pesquisas tecnológicas especializadas na área de horticultura.

Filipini disse que, em princípio, inscreveu-se na Faagroh em busca de um curso de nível superior, mas acabou se “deparando com universo de oportunidades, com network incrível para quem quer buscar informações e aprimoramentos num curto prazo”. Com o diploma, completou, todos os alunos podem se especializar na área que mais se identificou.

Para Roberta, o legado desta primeira turma “será, literalmente, deixar a porteira aberta para todos os outros alunos que virão para ser os novos profissionais do agronegócio”.


Roberta chegou a Holambra há dois anos e três meses, justamente no dia do início das aulas da Faagroh. “Prestei o vestibular despretensiosamente, atraída pela palavra agronegócio, e comecei a frequentar as aulas sem sequer saber a diferença entre um substrato e um solo. E fui me interessando cada vez mais pelas aulas e por todo o conteúdo passado por professores incríveis e altamente competentes e, em

menos de um ano de curso, eu já tinha o meu próprio espaço na Mostra de Paisagismo da Expoflora, estreitando, com sucesso, no mercado de decoração e paisagismo. Recomendo a Faagroh a todos que queiram ingressar na carreira do agronegócio”.

169 visualizações