• Da redação

Famílias holambrenses recebem cestas básicas e doações


Número de famílias cadastradas no CRAS aumentou nas últimas semanas; empresas e entidades mantêm contribuições



Setenta e sete famílias não inscritas no Cadastro Único antes da pandemia foram atendidas e listadas pelo Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) nas últimas semanas, chegando a mais de 400 atendidas pelo setor. O número de famílias que recebe o Bolsa Família também cresceu, passando de 87 beneficiárias em março para 103 até o começo deste mês.


A Prefeitura informou que a distribuição de cestas básicas para as famílias em situação de vulnerabilidade social é feita em domicílio, semanalmente, e aquelas ainda não contempladas e que precisam de doações devem procurar o CRAS, instalado na Praça dos Pioneiros, e fazer a inscrição. Essa relação é encaminhada regularmente aos funcionários responsáveis pela triagem e entrega das doações. Além das cestas distribuídas pela Prefeitura, outras ações lideradas por entidades também levam cestas básicas a outras famílias (como o grupo Amigos da Cachoeira), além de iniciativas que estão sendo implantadas (Parque Van Gogh) para atender moradores, esta última sem necessidade de cadastro .


Doações

Desde o início da pandemia, muitas empresas passaram a fazer doações à Prefeitura, o que permitiu levar ajuda a um número maior de moradores. Artigos alimentícios e de higiene, bem como máscaras de proteção facial e frascos de álcool em gel, compõem cestas e kits que estão sendo distribuídos a famílias inscritas no Cadastro Único ou em situação de vulnerabilidade e que buscam apoio do CRAS. Mas essas doações não são destinada apenas às famílias carentes: máscaras e frascos de álcool, bem como equipamentos de proteção individual (EPI) como óculos e luvas, também são destinados a unidades de saúde de Holambra para uso de profissionais e pacientes. As flores recebidas estão sendo usadas para plantio em espaços públicos ou doadas a profissionais de saúde e de segurança pública que estão atuando no enfrentamento ao novo coronavírus. Ja as cestas doadas pelo comitê de ajuda, formado logo no início da pandemia, foram destinadas, a pedido dos doadores, a pessoas idosas ou portadoras de deficiência. Outros itens, sobretudo de proteção individual ou serviços voluntários, cedidos por empresas diversas (Pulverização, Syngenta, Insumos, HBA, Stabra, FarmaHolambra, EHS Consultoria e Rinaldi Assessoria), garantiram as atividades de desinfecção de espaços públicos. “As doações são destinadas prioritariamente às famílias inscritas no Cadastro Único, monitoradas pelo CRAS. Dezenas de outras famílias, no entanto, que buscaram a assistência social, foram ou estão sendo contempladas pelas doações”, informou a Prefeitura.


Cooperação

Segundo a administração, a solidariedade e o cooperativismo são características “fortemente enraizadas na cultura local” e as doações que foram e estão sendo recebidas são “importantíssimas para promover o bem-estar social e condições básicas de prevenção às famílias que precisam”. “A Prefeitura, portanto, encoraja essas contribuições e manifesta publicamente profunda gratidão às pessoas e empresas solidárias diante desta grave crise. Centenas de pessoas estão sendo diretamente beneficiadas por estas ações. Ações que reduzem efetivamente os impactos negativos desta pandemia e que ajudam a salvar vidas em nosso município”.


Até o momento, entre as empresas e entidades que fizeram doações estão: Incotec, Rotary Club de Holambra, Syngenta, Cooperativa Pecuária Holambra, Granja Macaco, Makim Supermercado, Ypê, Ecoflora, Rancho Raízes, Lowell Cosméticos do Brasil, Multidrogas e Ven Flor (Ação “Amor em Forma de Flor”, parceria com a Cooperativa Veiling Holambra). Outras doações vieram de moradores (Valter Juarez Janei, Cristina Bongers e Khalil Barbosa e amigos).

Helga Vilela

37 visualizações