• Da redação

Grupo de apoio a mães volta a funcionar em Holambra

Grupo Acolher Encontro Materno voltou a funcionar nesta semana

As mamãe de primeira viagem de Holambra não precisam mais se preocupar. O Grupo de apoio Acolher Encontro Materno, voltou a funcionar, desde a última quarta-feira (13) e já tem um calendário com reuniões mensais agendadas até o final de 2019.

O Grupo Acolher Encontro Materno nasceu em novembro de 2017 através de uma iniciativa da psicóloga Ana Paula Nery, mãe de 2 pequenos em conjunto com a enfermeira obstetra Cristina Stolf, mãe de 4 grandões. Elas tinham o desejo de oferecer um espaço para as mães serem acolhidas em seus diversos sentimentos maternos.

Inicialmente os encontros eram quinzenais e atualmente são mensais. São gratuitos e o lanche é compartilhado. A média de participação são de 3 a 12 mulheres por encontro e atualmente o grupo tem possibilidade de atender até 10 mães. Participam algumas gestantes e mães com filhos de 1 a 18 anos. Bebês de colo (que ainda mamam) são bem-vindos. Em 2019, os encontros acontecem em novo endereço, com objetivo de fornecer ainda mais conforto e segurança a todas.

Os temas existem para dar início as conversas na roda, criar um clima espontâneo, através de dinâmicas ou leitura de algum texto, porém o mais importante de cada encontro são as demandas que cada uma trás e a escuta do grupo para com todas.

"Desejamos fornecer um espaço onde as mães possam dividir suas alegrias, angustias e experiências sobre a vida materna", afirma a psicóloga Ana Paula Nery. Escutar suas formas únicas de serem mães, sem “juízo de valor” ou imposições de “achismos”. Que possam respirar e ter uma fala livre, sentindo-se ouvidas diante de suas questões.

Ser mãe é um grande desafio psíquico, físico, emocional e social. "Muitas mães nos falam que falta espaço para falarem dos seus reais sentimentos em relação ao turbilhão de emoções que sentem diariamente. Mesmo elas tendo certeza de que amam muito os filhos, não deixam de serem humanas e capazes de sentirem cansaço ou terem desejos além da maternidade para suas realizações pessoais, como trabalhar fora, por exemplo", ressalta Ana.

O grupo acredita que quando as mulheres sentem-se ouvidas, ficam mais fortalecidas e, consequentemente, torna-se mais fácil fornecer amor, afeto verdadeiro e empático aos seus filhos, ajudando a construir um mundo melhor e mais autentico. Ana e Cris são mediadoras voluntárias do grupo e facilitam o diálogo entre as mães. Ressaltam que desejam que as mães sintam-se merecedoras desta grande partilha humana, que podem rir, chorar, silenciar, comover-se e se sentirem abraçadas e apoiadas umas pelas outras. É só chegar do jeito que for, tomar assento e saberem que o Acolher Materno sentirá muito prazer em dividir esse tempo com todas.



13 visualizações