• Da redação

“Miserê” de R$ 24 mil para o procurador

Histórias da Dona Ilda


Esse foi o título de uma notícia publicada num jornal de Campinas. Ela tratava do fato de que um procurador do Ministério Público de Minas Gerais (MG) gerou uma grande polêmica na semana passada ao reclamar que seu salário de R$ 24.000,00 era um “miserê”!!!

Na reunião em que estava, o Sr. Leonardo Azeredo dos Santos pode se sentir à vontade para pronunciar um discurso contundente, em que sua remuneração era “demasiada enxuta para seus padrões”. Comentou que para um profissional com filhos, o valor não oferecia tranquilidade suficiente para administrar o orçamento doméstico.

Com essas palavras ele se dirigiu ao Procurador Geral da Justiça de Minas, António Cesar Tomé, na última reunião ocorrida no dia 12 de agosto, durante a 5ªsessão extraordinária da Câmara de Procuradores. Esse cidadão declarou ainda que teve que reduzir suas despesas de cartão de crédito de R$20.000 para R$8.000 “por não estar acostumado com tanta limitação”.

O debate em questão era o orçamento do órgão para 2020.

Em verdade, dados do Portal de Transparência indicam que esse procurador recebeu nesse ano aproximadamente R$477.000, em média R$68.000 por mês.

O procurador declara ainda: “o que vamos fazer para melhorar a nossa remuneração? Ou vamos ficar parados?”, diz o trecho que vazou do encontro e que repercutiu na mídia qualificada e nas redes sociais, com repúdio evidenteda sociedade civil .

O fato é de um teor absurdo!

Aí fica constatado para onde vai nosso dinheiro!!!

Porque as próximas eleições não podem ser diferentes? Porque os políticos têm necessidade de ter dezenas de ajudantes cada um, tudo com nosso dinheiro? E ainda reclamam que é muito pouco o que ganham. Deveria ser feita uma vistoria para conhecimento de altos salários para quem há anos não faz nada que mereça!!!

Há alguns dias vi na TV um repórter analisando um grupo de funcionários públicos sobre o que faziam: quantos projetos, quantos trabalhos admiráveis... E um respondeu que era o seu quarto mandato e ele só recebia e lia requerimentos. Que beleza, não? Haja requerimentos!!!

Sei de pessoas que recebem salários milionários de nosso governo, e passam a vida “navegando na mayonèse” !!! Não sabem nem onde por seu dinheiro!!!

Em compensação, fui à farmácia comprar alguns remédios que tomo de rotina. Quando vi a conta até levei um susto! Quase R$300,00!!!

Como fica uma pobre pessoa cujo salário é um pouco mais de que isso? Como ficam as crianças com necessidade urgente, como vemos na TV?

Os preços farmacêuticos também estão caríssimos, esperando alguma atitude de nossas autoridades!

Enfim, acorda Brasil!!! Há muita coisa a ser feita para termos uma vida mais tranquila e menos sacrificada!

0 visualização