• Da redação

Os desafios na formação de novos profissionais da veterinária


Faculdades devem acompanhar a evolução da medicina veterinária com base em dois pilares: infra-estrutura e a metodologia de ensino


O mercado de equinos vem crescendo constantemente e, mesmo em tempos de pandemia, teve um bom desempenho, exigindo uma grande capacitação técnica de novos veterinários, cada vez mais especializados e detentores de competências nas áreas de produção, clínica, cirurgia, reabilitação e reprodução, além de estarem muito ligados às novas tecnologias.

Essa formação de competência nos acadêmicos de veterinária não é fácil. Vivemos uma época em que se fala muito no ensino a distância e híbrido, mas na área da saúde temos um paradoxo, pois ao mesmo tempo em que necessitamos nos adequar aos novos tempos, sabemos que o exercício prático é insubstituível na formação dos futuros veterinários.


Um exemplo de sucesso durante a pandemia tem sido o trabalho do Grupo UniEduK com suas instituições UniMAX, em Indaiatuba, e UniFAJ, em Jaguariúna, focado na realização de aulas práticas, e durante vários meses impedidos de realizar aulas presenciais, o grupo educacional montou uma grande equipe de filmagem com vários estúdios e locações dentro dos seus hospitais veterinários. Dessa forma, mais de mil aulas práticas foram realizadas pelos professores em laboratórios, centros cirúrgicos, clínicas e fazendas experimentais. Com isso, foram produzidos verdadeiros “documentários” transmitidos ao vivo para os alunos, que podiam interagir com os casos discutidos, em uma verdadeira revolução na aula prática on-line. E tão logo foi permitido, as instituições do Grupo UniEduK foram as primeiras a reiniciar as atividades praticas presenciais, sob imenso cuidado com biossegurança, orientados por médicos, enfermeiros e apoiados pelas órgãos públicos.

Mas a medicina veterinária evolui rapidamente e assim a academia deve fazer também, sendo, portanto, dois pilares que devem andar juntos: a infra-estrutura e a metodologia de ensino. O investimento na infraestrutura é fundamental para que o veterinário possa aprender a utilizar equipamentos modernos e adquirir competência para utilizá-los. Nesse contexto, o Grupo UniEduK tem investido muito nos seus campi, que são realmente funcionais e muito agradáveis. Lembrando que são hospitais e que o aspecto ajuda muito a trazer bem estar aos clientes, profissionais e alunos. Como exemplos disso podemos citar a instalação recente de um centro de fisioterapia veterinária com equipamento Equiboard e um grande investimento no setor de diagnóstico por imagem, com equipamentos que serão inovadores para a nossa região.

A metodologia de ensino vem junto, pois nos dias atuais não podemos mais imaginar um ensino estático e expositivo. As mudanças sociais e modernização exigem que o estudo seja mais interativo, onde os professores ensinem a aprender, utilizando técnicas de metodologias ativas associadas às atividades práticas. Dessa forma, o futuro veterinário poderá realmente adquirir a base para atuar no mercado.

Muitas pessoas nos perguntam se o veterinário formado pode atuar em qualquer área, a resposta é “sim, ele pode”, porém sabemos que para se tornar excelente em alguma coisa é necessário evoluir e especializar o conhecimento, fazendo residência, especialização e até mesmo mestrado e doutorado.


Nesse cenário, o Grupo UniEduk saiu na frente há muito tempo, pois numa parceria com o IBVET, que se iniciou em 2005, vem realizando cursos de Pós Graduação Lato sensu em vários locais do Brasil, nas diversas áreas da medicina veterinária, mas em especial nas de Clinica e Cirurgia de Equinos, Reprodução de Equinos, Ortopedia e Terapêutica de Equinos e Cirurgia Abdominal de Equinos. Os ex-alunos desses cursos são hoje líderes em suas regiões no Brasil e no exterior, inclusive, existem vários veterinários brasileiros atuando no Catar e muitos são ex-alunos do Grupo UniEduK em parceria com o IBVET.


Vale lembrar que o mercado veterinário deve crescer 7% ao ano segundo previsões conservadoras, e o agro segue forte também, mas cada vez mais tecnificado e exigente. É para esse mercado que devemos estar preparados.


Silvio Batista Piotto Junior é médico veterinário, Gestor da Medicina Veterinária do Grupo UniEduK, incluindo os Cursos de Medicina Veterinária e dos Hospitais Veterinários localizados em Jaguariúna/SP e Indaiatuba/SP; diretor do IBVET, ex-presidente da Abraveq ( Associação Brasileira de Veterinários de Equídeos) e sócio-Fundador da Equiboard Equipamentos.



4 visualizações0 comentário