• Da redação

Período de estiagem exige consumo consciente da água


Falta de chuvas afeta lagos e rios que abastecem a cidade e região


A Estância Turística de Holambra, conhecida por suas belas paisagens de flores e ambientes decorados, tem um cenário atual um pouco diferente do seu normal. É notório o baixo nível dos lagos, decorrente da falta de chuvas que são as principais fontes de recarga dos aquíferos e lagos do município. “No período de estiagem a captação no rio Camanducaia passa a ser a principal providência para manter a normalidade no sistema de produção e abastecimento”, explica a assessoria da concessionária Águas de Holambra. De acordo com a empresa, é importante neste período de estiagem, que a população realize o uso racional da água, evitando assim, qualquer tipo de desperdício de água potável.

Segundo a Águas de Holambra, que realiza o monitoramento diário dos mananciais que abastecem o município, a concessionária está realizando ações que garantam a normalidade no abastecimento de água e segurança operacional para enfrentar este período de seca. “Dentre as ações tomadas, realizamos a melhoria na ETA Tulipas, o desassoreamento da captação, a instalação de balsas para remanejamento do ponto de captação superficial, a limpeza do poço de sucção das bombas e melhorias na adutora de água bruta”, garante.

Várias cidades da região metropolitana de Campinas também estão sofrendo com a falta de água e de abastecimento da mesma. Valinhos, Americana, Piracicaba, Cosmópolis, Artur Nogueira e Santo Antônio de Posse são alguns exemplos. Esta última, declarou o racionamento de água para a população.

A cidade vizinha, Artur Nogueira, enfrenta atualmente uma séria crise com a escassez de água em vários pontos da cidade. O portal CBN, G1 e EPTV já noticiaram o problema e no último dia 28, o prefeito Ivan Vicensotti decretou estado de calamidade hídrica no município.

Em Holambra, a assessoria de Águas de Holambra, declara otimista - “Estamos finalizando o mês com a mudança da estação para verão e chegada das chuvas, que irá recarregar os aquíferos e lagos do município e da região”.

Embora a cidade ainda não esteja vivendo uma situação crítica, ao ponto de racionamento ou decreto de calamidade por de falta de água, a empresa finaliza listando alguns exemplos a seguir por toda população:

- Ao lavar as mãos, feche a torneira, ao ensaboar, e só abra quando for enxaguar.

- Ao lavar roupas e louças, feche a torneira, ao ensaboar, e volte a abrí-la na hora de enxaguar.

-Evite a lavagem de quintais e carros com água potável, reutilize a água da lavagem de roupas,por exemplo.

-Vazamentos e torneiras pingando desperdiçam água potável, por isso é necessário estar atento (a).

Dálete Minichiello

384 visualizações