• Da redação

Por decreto Holambra determina uso de máscaras


Hotéis e similares poderão atender clientes em viagem a trabalho, sendo vetada hospedagem de turistas



Com quatro casos de Coronavírus confirmados em Holambra, o prefeito Fernando Fiori de Godoy complementou, na tarde de ontem, as diretrizes estabelecidas, a partir de decretos, para o enfrentamento da doença na cidade.


O novo decreto reforça o uso de máscara de proteção facial – obrigatório ou recomendado –, medida já adotada em cidades da região. Assim, torna-se obrigatório para a população “o uso de máscaras de proteção facial no interior de estabelecimentos comerciais de qualquer natureza, em repartições públicas, em unidades de saúde e em transportes coletivos (circulares, táxis, e transporte por aplicativo)”. E completa: “fica fortemente recomendado o uso de máscaras de proteção facial em todo o município, ainda que de fabricação artesanal, por toda e qualquer pessoa durante a circulação em espaços públicos (ruas e praças)”. Ainda sobre esta proteção,o decreto determina que funcionários, colaboradores e terceirizados de estabelecimentos públicos e privados, com atendimento individual ou coletivo, deverão, obrigatoriamente, usar máscaras de proteção facial e respeitar o distanciamento mínimo de um metro de outras pessoas. Compete aos estabelecimentos fornecer, gratuitamente, máscaras protetivas aos funcionários e colaboradores. O uso de máscaras chegou ser sugerida, através de indicação ao Executivo, na última sessão da Câmara.


As atividades comerciais seguem proibidas de realizar atendimento coletivo ao público (exceto as consideradas essenciais, sempre respeitando as regras de segurança). Desta forma, os estabelecimentos comerciais varejistas de bens e serviços não poderão operar com atendimento coletivo ao público, mas passa a ser permitida a atividade de portas fechadas com assistência presencial individual, preferencialmente mediante agendamento, e vendas por telefone ou meios eletrônicos com entrega (delivery) e retirada (drive thru).


Flexibilização

O decreto flexibiliza a prestação de serviços de cabeleireiros, manicures, pedicures e esteticistas, os quais poderão oferecer atendimento em domicílio ou mediante agendamento individual, respeitado o limite de um cliente por vez no ambiente.

Para hotéis, pousadas, pensões e similares, o atendimento passa a ser permitido somente a clientes em viagem a trabalho, mantendo a proibição de hospedagem voltada à atividade turística durante a quarentena. Para comprovação e fiscalização, deve ser solicitado, no ato da reserva, documento que ateste a natureza profissional da visita à cidade.

Em todo comércio local e nos serviços públicos de atendimento que permanecerem abertos, é obrigatório a disponibilidade e oferta gratuita de água e sabão ou álcool em gel 70% para higienização de clientes e público em geral, em pontos estratégicos e de fácil acesso.


Alojamento

O decreto traz ainda regras para alojamento de funcionários (a segunda vítima da doença na cidade ficava em alojamento): estabelece, em dormitórios coletivos, espaçamento mínimo de 5m² para cada cama e distanciamento mínimo de um metro entre as camas, sem uso de beliche e com uso obrigatório de máscaras em seu interior.

A íntegra das determinações, que traz ainda recomendações para isolamento domiciliar a funcionários recém-chegados de cidades com mais de 100 casos confirmados e a liberação de funcionários com sintomas da doença, pode ser conferida no site da Prefeitura de Holambra, no Diário Eletrônico.


Quarto caso também está na Saúde

Uma funcionária pública, de 46 anos, da área da saúde e moradora de Holambra, é a quarta vítima do Coronavírus na cidade. Na semana passada, uma enfermeira testou positivo.

O quarto caso foi confirmado esta semana por meio de exame laboratorial e, conforme o Departamento de Saúde, não é possível determinar o local de contágio. A vítima não precisou de internação e encontra-se em isolamento domiciliar.


O departamento voltou a reforçar que novas confirmações são esperadas diante da evolução da epidemia no país, com ênfase especial no Estado de São Paulo. “O crescimento da incidência em Holambra representa um alerta. É muito importante que toda a população esteja engajada na prevenção. Ou seja: é fundamental que as pessoas fiquem em casa e saiam somente quando necessário. Ao sair, que use máscaras. Que higienize regularmente as mãos com água e sabão ou álcool em gel 70% e que cubra o rosto ao tossir ou espirrar. Se surgir sintomas, faça o isolamento social, acompanhe a evolução e busque auxílio da unidade de saúde mais próxima”, listou Valmir Iglecias, diretor da pasta.


Helga Vilela

241 visualizações