• Da redação

Prorrogada a data para vacinação contra sarampo

Intenção é elevar cobertura vacinal entre adultos devido à baixa adesão à campanha


Os holambrenses ganharam mais um prazo para se imunizarem contra sarampo: a campanha nacional, prevista para ser encerrada na última segunda-feira de agosto foi estendida até 31 de outubro. A decisão do Ministério da Saúde em ampliar a campanha baseia-se na baixa adesão do público adulto. Dados preliminares das secretarias estaduais de saúde apontam que desde o início da ação, em 16 de março, até o dia 17 de agosto, foram vacinadas 5,29 milhões de pessoas entre 20 e 49 anos, faixa etária que totaliza, para esta nova etapa da campanha, mais de 90 milhões de pessoas.

Responsável pelo setor de imunização em Holambra, a enfermeira Wilma Gomes reforçou que a circulação do vírus no Brasil se mantém ativa, com casos confirmados nos últimos 90 dias. Especificamente em Holambra, um caso foi registrado em março deste ano. “Muitas pessoas ainda estão suscetíveis porque não se vacinaram”. Wilma informou que manterão o mesmo sistema de vacinação: de seis meses a 49 anos, sendo seletiva até 29 anos (se a pessoa recebeu todas as vacinas, a partir de conferência da carteirinha, não precisa receber nova dose) e dos 30 aos 49 anos é indiscriminada (recebe a vacina sem necessidade de conferência da carteira). A baixa adesão por parte do público adulto, acredita Wilma, pode ser explicada pelo receio de ir até a unidade receber a vacina devido à pandemia; porque muitos não dão importância à imunização e à prevenção e, por fim, até mesmo por medo da vacina. Porém, ela enfatizou que sarampo é uma doença viral e de fácil contaminação, uma vez que é transmitida pela respiração, ao tossir e pela secreção ocular.

A meta para a cobertura vacinal estabelecida pelo Ministério da Saúde é de 90%. Até esta semana, entre seis meses e 29 anos, foram vacinadas 174 pessoas, sendo que mais de 900 compareceram aos PSFs para avaliação da carteirinha. “A participação nesta faixa etária foi boa e mostrou que maioria que compareceu já estava com vacina em dia. Esta é a primeira vez que crianças de seis meses receberam a dose de Intensificação”. Porém, na faixa de 30 a 49 anos foram vacinados apenas 595. “Foram poucos os que vieram”, completou a enfermeira, ao frisar que sarampo é doença perigosa, que já estava extinta, e pode levar à morte, devido às suas complicações.

De acordo com o Ministério da Saúde, neste ano, até 25 de julho, foram confirmados 7.293 casos de sarampo em 21 estados, entre eles: Pará (4.713 casos – 64,6%); Rio de Janeiro (1.241 casos – 17%); São Paulo (721 casos – 9,9%); Paraná (305 casos – 4,2%); e Santa Catarina (111 casos – 1,5%).

Helga Vilela

14 visualizações